Como levar seu animal de estimação do Brasil para a Irlanda

Comentários 3 Padrão

Já explicamos aqui no blog como fazer o processo da Irlanda para o Brasil, em detalhes. Um passo a passo de tudo que você precisa fazer e como funciona na realidade o transporte da terra verdade para a terra Brasilis. Bem, agora vamos explicar como funciona o processo inverso de como levar o seu bichinho do Brasil para a Irlanda.

Antes, uma breve reflexão sobre o assunto.

1) Adaptação e moradia:   Esse assunto deve ser muito bem pensado antes da decisão de realmente levar seu PET pra Irlanda. Tenha em mente que você vai passar por um processo de adaptação complicado em vários sentidos. Entenda que você não tem uma residência fixa e certamente vai ter que morar com outras pessoas e em 99,9% das vezes ela serão totalmente desconhecidas. A maioria das pessoas amam bichos de estimação mas no intercâmbio tudo é muito intenso e o seu animalzinho pode passar de um amorzinho para a um problema. Certamente você terá que se mudar pelo menos 1 ou 2x durante o intercâmbio e isso pode ser complicado mas uma vez. Em várias situações os donos das casas não permitem Pet’s pelo fato do barulho ou por causa da mobília.

2) Despesas com alimentação e saúde: De uma forma geral os preços de ração e outras coisinhas que nossos bichinhos gostam não são caros (muito mais barato que no Brasil) e também veterinário não é um valor absurdo. Claro, essa conclusão de que as coisas são ligeiramente baratas só pode acontecer depois de você já esta trabalhando. Os gastos iniciais são altos e ter mais uma despesa fixa por elevar mais ainda suas contas. Na adaptação, o PET pode ter alguns problemas de saúde e com isso algumas visitas ao VET serão necessárias. Eu não vejo esse aspecto como um grande problema mas deve ser considerado.

3) Tempo de estadia na Irlanda: O processo de transporte é muito traumático para o PET. Tive essa impressão com o Dexter porque quando chegamos em SP ele estava muito assustado pra não falar desesperado. Deve ter sido um sofrimento pra ele ficar no porão do avião durante todo aquele tempo. Eu não sei sobre cachorrinhos mas com gatos é diferente e eles ficam muito preocupados e com certeza o choque é maior. Claro que ele voltou a ser a mesma fofurinha de antes mas sempre nos perguntamos como foi aquela viagem pra ele (kkkk coisa de pais preocupados). Mesmo que você tenha planos de ficar muito tempo na Irlanda  é muito difícil prever o que vai acontecer porque tudo muda muito e pode ser que você tenha um gasto elevado, um trauma muito grande para o PET e fique pouco tempo na Irlanda.

Eu não recomendaria levar um PET pra a Irlanda porque pode até parecer ser possível organizar tudo mas depois que chegamos na Irlanda é que entendemos como tudo funciona. Como é realmente a vida dividindo casa com outras pessoas e principalmente como é a rotina de um intercambista. Eu aconselharia esperar um pouco e só depois que tudo estivesse correndo bem fazer esse processo. Não se deixe levar pela emoção de ter o seu PET perto de você porque tudo pode se tornar um pesadelo.

Eu já vinha pesquisando sobre o processo de levar PET do Brasil pra Irlanda mas sempre encontrava informações antigas e ficava na dúvida se deveria postar. Na semana passada o E-Dublin  fez um vídeo muito legal com uma pessoa que acabou de chegar na Irlanda com seu PET. Nesse video informações completas e atualizadas sobre todo o processo (2014). Nesse caso especifico eu recomendaria fazer o transporte do PET porque o casal já chegou com as coisas organizadas e pelo que parece moram sozinhos, fato diferente da maioria dos estudantes.

Links Úteis:

http://www.tesco.ie
http://www.maxizoo.ie

Anúncios

6 meses de Irlanda, mais já?

Comentários 26 Padrão

A frase já esta repetida aqui no blog mais como o tempo passa rápido por aqui, não parece mais já completamos 6 meses (8 de setembro). Me lembro quando saímos da nossa querida Patos de Minas carregando malas cheias de roupas, tênis, pão de queijo e muitos sonhos e hoje chegamos ao expressivo número de 6 meses. Muita coisa se passou desde aquela terça feira nublada e fria do dia 8 de março e hoje estamos com metade da primeira parte do nosso projeto percorrida, muitos obstáculos foram vencidos e várias conquistas, muitas lições, um amadurecimento muito grande e certeza de ter feito um ótimo planejamento porque tudo saiu dentro do previsto e não chegamos a passar grandes dificuldade financeiras. Graças a Deus na última hora quando estava com apenas 20 euros consegui um trabalho pela indicação do meu amigo Junior e depois disso todas as coisas estão caminhando muito bem e melhorando a cada dia. Vou dar uma passada em alguns pontos importantes nesse tempo.

CADA UM SABE OS RISCOS E O QUE FAZER PARA SE ATINGIR UM OBJETIVO BASTA TER MUITA CORAGEM E PRINCIPALMENTE PERSEVERANÇA.

PLANEJAMENTO

Só chegamos aqui graças ao planejamento bem feito que tivemos. Viemos com passagem área, curso e seguros divididos no cartão de credito. Pegamos dinheiro emprestado para poder tirar o visto e arriscamos tudo em função de um sonho. Foi tenso porque tínhamos que nos manter aqui e ainda mandar um complemento financeiro para cobrir o cartão de crédito no Brasil mas hoje 6 meses depois da loucura de tomar essa decisão já quitamos o seguro e estamos nas últimas da passagem aérea e do curso. Em Dezembro quitamos tudo dai só ficara a grana que pegamos emprestado para declarar na imigração hehehe, essa é a segunda parte do projeto que vai ser resolvida de uma forma bem mais rápida. Claro para conseguir isso controlamos ao extremos de gastar apenas 10 euros de comida por semana pra cada um e não sair de jeito nenhum porque cada centavo esta planejado e não poderia ser gasto de qualquer maneira.

CHEGADA

É estranho quando se chega aqui porque depois da euforia do voo a chegada é meio tensa porque você vai vendo as ruas e pensando é aqui mesmo? como vão ser as coisa? será que vai dar certo? são tantas dúvidas que chega a assustar, você não tem escolha e tudo que viu na internet sobre a cidade de repende esta a sua frente… do medo da chegada a sensação de ter chegado mesmo levam algumas horas ou dias. O mais interessante é saber que você esta a centenas de quilometros de casa e que não tem como voltar pra trás, pelo assim da noite para o dia.

ADAPTAÇÃO

Nossa adaptação pode-se dizer que foi muito tranquila, não tivemos dificuldade com comida, clima, agua, nada.. tudo muito tranquilo. Até do frio que achavamos que seria dificil mais de boa até agora, vamos ver no inverno que esta chegando como vão ser as coisas. A gente se sente em casa porque todo é tão tranquilo que certas dificuldade nem são notadas e as coisas boas passam por cima disso tudo. Andamos por qualquer canto da cidade tranquilamente já e temos condições de orientar bem as pessoas nas ruas sobre pontos turisticos, lojas e outras situações que se exige um senso de localização. Não tivemos problema nenhuma com segurança, não fomos atacados na rua por ninguem, não vimos grandes problemas e sentimos um clima muito bom na cidade mais claro que tem problema, regiões mais dificeis mais assim….. anos luz do Brasil no quesito segurança. Não tivemos problemas tambpem com o fuso horario porque na chegada é tanta coisa pra fazer, a ansiedade é muito e você acabando deixando o sono de lado e quando deita mesmo pra dormir é so fechar o olho e apagar ….

EMPREGO

A coisa não está fácil realmente mais depois de 3 meses todo mundo se acerta e arruma pelo menos um trabalho de 3 dias por semana que se tornam mais que suficientes para pagar as despesas. Conheço pessoas que tem 2, 3 empregos e olhe que não tem assim um inglês de ponta em…. os caras tem coragem, tem raça e saem atras do trabalho igual loucos, não ficam em casa com um computador no colo e muito menos tem medo de levar não. Todos os dias saem com 50 Cv debaixo do braço e bate de porta em porta…. é uma questão de tempo até encontrar alguma coisa. Mais fácil ainda para aqueles que desenvolvem uma rede de amigos bacana e são lembrados para uma indicação, essa rede de amigos não é feita necessariamente num pub mais na escola, na rua, na internet em tudo que lugar. Aqueles que mais se dão bem são aqueles que ajudam os outros, que indicam plaquinhas de empregos e vão juntos lutando porque a maioria das pessoas que vem pra cá infelizmente se tornam mesquinhas ao ponto de negar um simples telefone do cara que controla as bikes que fazem o transporte das pessoas (aconteceu comigo). Um amigo me disse que as pessoas chegam aqui e viram bichos, não conhecem os brasileiros irmão de país e literalmente correm de todo mundo com medo de perder um trabalho de limpeza num hotel, uma venda de jornal ou qualquer outra coisa. Desde que cheguei sempre tive a ideia ao contrario sempre ajudei quem eu pude, dei dicas, enfim sempre caminhei junto com quem me pediu ajuda ou alguma coisa e acho que tudo da certo para quem faz o bem sem olhar a quem. Hoje fico feliz ao ver pessoas que chegaram junto comigo trabalhando e construindo seus sonhos com muita luta…. sempre estou disponível pra qualquer coisa. Já ajudei pessoas que depois nem me disseram obrigado, outras que sumiram e outras ainda que se tornaram amigos e amigas pessoais, mais e dai, isso não importa o legal e saber que esta se fazendo o bem.

Hoje vejo pessoas correndo pra todo lado atras de trabalho assim como eu fiz também, sem descansar, sem tempo pra balada e muito menos pra uma pint de 5 euros, mais tenho a certeza de que todos vão se acertar porque hoje depois de 6 meses vejo que o emprego realmente está difícil mais é quase igual ao Brasil. Imagine você mudando pra uma cidade onde não conhece nada e ninguém e ainda por cima não fala bem a língua.. é começar uma historia do zero, é um risco muito grande mais depois de algum tempo de dedicação e esforço o trabalho vai aparecer. Conheci pessoas que chegaram e na mesma semana conseguiram trabalho, pessoas que depois de 1 mês já tinham um fixo e outros que levaram 3 ou 4 meses como eu. É tudo uma questão de estar no local certo e na hora certa então quando mais tentar maiores serão as chances.

Bem eu trabalhei num hotel durante 3 dias no primeiro mês depois fiz um bico num restaurante onde me enrolaram e queriam que trabalhasse 1 semana de graça, sai fora e continuei a luta. No final do segundo mês consegui um trabalho por indicação num restaurante italiano onde fiquei exatos 3 meses, passei muitas barras por lá, muuuuuitas mesmo credo, foi uma fase terrível em que eu pensei em desistir várias vezes mas como não tinha escolha o jeito foi aguentar e seguir em frente. A dificuldade com a língua que em muitas vezes pegou, sem falar na relação funcionário x chefe que era terrível eram minhas cruzes … Mesmo com esse trabalho continuei procurando outras coisas, enviava currículo todo dia pra tudo que lugar, ficava sabendo de uma coisa e corria lá. Consegui algumas vagas pra trabalhar em limpeza de eventos mais como os horários não deram certo acabei dispensando. Depois desse tempo graças a uma boa relação que sempre tive com a escola NED fui convidado pra trabalhar no marketing e vendas da escola onde estou vai fazer 3 semanas. Depois disso também consegui um trabalho de vendedor de refrigerantes, cerveja e cachorro quente em estadio, só fui uma vez por enquanto mais vai aparecer outros dias e com certeza estarei na lista de staff porque fui muito bem no primeiro dia. O lance é correr muito atras e nunca desistir. Aqui cada um esta por conta própria e se você não fizer as coisas ninguém vai fazer por você, você pode ate ser ajudado com uma indicação mais certamente terá que correr muito, mais muito mesmo até conseguir se firmar por aqui.

A Stéfane conseguiu uma posição de Au pair logo no primeiro mês e onde esta ate hoje, ela vai voltar no inicio de novembro pra Dublin para retomar as aulas e agora sim com inglês melhor tentar um emprego por aqui. As coisas para meninas são bem mais simples e fáceis, é chegar se cadastrar nos sites com um bom currículo verdadeiro ou não e ter a coragem de se arriscar nessa aventura que é morar numa casa Irish. Claro que existem outras vagas em outras atividades para as meninas mais Au pair realmente é o caminho mais fácil para se ganhar os primeiros euros aqui na europa.

O BLOG

Da ideia de deixar os amigos informados no Brasil acabamos criando um grande ponto de encontro de pessoas interessados em intercambio. Hoje temos em média 700 visitas por dia, tudo graças a muito esforço e dedicação para manter o blog sempre atualizado. É um prazer pode ajudar as pessoas, receber um comentário positivo, um elogio mais principalmente saber de e alguma maneira estamos facilitando o processo difícil e confuso que um planejamento de intercambio afinal passamos pela mesma experiencia e sabemos que falta muita coisa na internet e é em cima disso que sempre estamos trabalhando. Claro que tudo depende da combinação de horários e fatos interessantes então tem semanas que atualizamos mais e outras menos entretanto nunca deixamos menos de 3 post semanais mantendo sempre o blog como fonte de informação. O mais interessante é depois você encontrar pessoas aqui em Dublin numa roda e alguém dizer que acessava o blog, que foi legal e tal… já teve vezes que alguém disse isso e fiquei caladinho heheh só ouvindo a experiencia da pessoa, muito legal … isso não tem preço. Acredito que o blog abriu muitas portas pra mim porque graças a ele fui condidado pra ser colunista do Dublin para Brasileiros onde conheci várias pessoas que de certa forma sempre me ajudam com algo e assim vamos levando esse projeto.

ALIMENTAÇÃO

No inicio controlamos muito nossa alimentação para não gastar além do que podíamos mais hoje com as coisas caminhando bem nossa sacolinha sempre tem bastante variedade, melhor até que no Brasil porque aqui temos mais horários para as coisas, temos mais planejamento do dia, coisa que não acontecia no Brasil onde 90% da nossa alimentação era de padarias e lanchonetes. Nesses 6 primeiros meses eu perdi 9 kg. Faço meu próprio almoço o que foi um desafio também porque não sabia nem fritar ovo direito mais como minha família tem no sangue a culinária não tive problemas e hoje já sei fazer um cardápio bem bacana, heheheh. Um ponto que ajudou nessa perca de peso foi cortar as frituras, aqui não como nada frito só assado e também andar me fez muito bem (nossa como a gente anda aqui). Antes não ia na esquina a pé hoje são pelos menos 20 minutos de caminhada todo dia. Quando estava procurando trabalho andava quase 13 km por dia. Essa parte esta sendo muito bacana porque compramos muita coisa diferente da nossa alimentação no Brasil porque aqui as coisas são muito baratas, você vai no Tesco e com algumas moedas já enche a sacola.

MORADIA

Na primeira semana em Dublin encontramos o AP que estamos até hoje, ele é bem localizado no centro da cidade e perto de tudo, pagamos 200 euros cada um pelo quarto com cama de casal. Moramos em 4 pessoas (2 em cada quarto) todos Brazucas. Não temos planos de mudar a não ser que apareça uma proposta muito boa ou um lugar que realmente seja muito bom. É muito fácil encontrar moradia aqui, tem milhares de ofertas na internet, basta ter paciência e procurar com calma que você encontra o que procura. É preciso se fazer uma analise da relação trabalho x escola x supermercados x transporte para não se ter um gasto muito elevado. Você pode encontrar uma vaga por 170 euros mais pode ter despesas muito altas com supermercados caros ou dificuldade de locomoção então é analisar e tomar a melhor decisão.

ESTUDO X TRABALHO

Fui na escola somente durante o primeiro mês e depois já tive que pedir férias para trabalhar porque afinal minha primeira meta era pagar as despesas para depois sim estudar inglês. No trabalho desenvolvi bastante porque falava inglês o tempo inteiro mais vai indo e o vocabulário vai ficando limitado porque você já aprendeu toda a rotina do lugar. Quando cheguei meu inglês era bem básico mais hoje já consigo entender muito bem (um fato natural é que o ouvido desenvolve bem mais rápido que a fala) mais ainda estou longe de estar muito bom ou fluente. Agora com um emprego com horários mais controlados espero poder me organizar e voltar a estudar, bom que agora estaou trabalhando na minha escola dai facilita muito tudo. A Stéfane tambem veio com inglês mais básico que o meu e graças a experiencia de au pair ela desenvolveu muito, mais muito mesmo a ponto de alguns momentos ela se comunicar melhor que eu. Voltando agora em novembro ela também espero poder conciliar estudo e trabalho. Nós já viemos conscientes desse processo e que teríamos que trabalhar primeiro para depois pensar no estudo então é esperar o tempo e se adequar as possibilidades.

PONTOS POSITIVOS

O amadurecimento é muito grande numa experiencia dessa, é tanta coisa que esta sobre sua responsabilidade que as vezes dá vontade de pular no rio liffey, mais no final tudo dá certo e você vai colhendo os frutos do esforço e das dificuldades. A administração financeira esta sendo um ponto muito positivo pra mim porque no Brasil minha vida era o cartão de crédito e gastava sempre mais do que podia. Aqui como não o uso tive que aprender a controlar o impulso pela compra de qualquer coisa desde uma camiseta até alimentação. É muito bom comprar apenas a vista porque você tem o controle exato de quanto pode gastar e o que pode comprar. Acredito que para mim esse ponto tem sido o mais incrivel porque como eu mudei, nossa principalmente em relação a lanches na rua, hoje não como praticamente nada na rua, tudo em casa. Comer na rua no Brasil acabava com minha saude e com meu bolso kkkkkkkkk.

Outro ponto muito positivo é o contato com outras culturas, outros povos e as diferenças nas linguas, na alimentação. Vivendo numa cidade pequena a vida toda sempre tive a cabeça muito aberta mais depois que cheguei aqui me apaixonei mais ainda pelas diferenças culturais. Tirando a lingua que é visivel na rua é incrivel ver como as pessoas se vestem, como se comportam, como tratam seus filhos e como levam a vida. O clima de Dublin é ótima para quem gosta disso porque é uma mistura tão grande, é gente de centenas de paises e a cidades se torna uma mistura muito grande de culturas, linguas, comidas e pessoas. Outro ponto muito importante é a descoberta de forças e habilidades novas. Paciência, persistência, luta, garra, poder de decisão entre outras coisas são sentimentos que você certamente irá se encontrar.

PONTOS NEGATIVOS

O ponto mais negativo claro é ficar longe da família e dos amigos, entretanto isso aqui não é nossa vida real, é apenas uma fase, um momento que pode durar alguns meses ou anos mais um dia todos voltaremos para os braços de nossos amados no Brasil. Não temos outros pontos negativos porque nossa adaptação foi muito tranquila mais cada um tem um ponto de vista e objetivos bem diferentes e é normal você encontrar pessoas que não gostam de nada por aqui, mais mesmo assim não abrem mão de ficar pelo menos um ano.

Que tal ir ao banco e colocar sua bike do lado de dentro?

Comentários 5 Padrão

Tem umas coisas aqui em Dublin que me surpreendem muito e fico pensando, o que é a boa vontade de um governo, de uma administração em prol da sociedade. Claro que a Irlanda é um pais infinitamente menor que o Brasil o que torna “teoricamente” mais faceis as coisas entretanto vemos pelas ruas alguns pequenos fatos que mostram claramente a intensão de ajudar a população. Andar de bike em Dublin faz parte da cultura, vemos pessoas de todas as idades, passeando, indo pro trabalho e porque não trabalhando. Para todos essas pessoas vi dois fatos muito legais semana passada. Para quem precisa pegar trem “dart” você pode ir até a estação e entrar com a bike dentro do trem fazer o trecho e depois seguir com sua bike. A outra coisa é que você pode deixar sua querida bike dentro do banco (não sei se todos, vi essa no Bank of Ireland que fica na Talbot Street). Já vi bikes também dentro de algumas lojas, supermercados e outros estabelecimentos.

A foto ficou meio tremida pois quando fui tirar a foto o dono a bike saiu do caixa hehehehehehe. No mês passado a GARDA fez uma campanha nas estações do LUAS sobre fatos para aumentar a segurança e entre eles um banner falava do roubo de bikes. A maioria das bikes trancadas pelas ruas usam cadeados bem grandes, uns prendem só o quadro, outros prendem as rodas e tiram o banco. Cada um cuida da sua magrela como dá, o certo que mesmo achando a cidade muito segura realmente existem roubos de bikes. Recentemente meu flatmate espanhol teve a sua roubada bem aqui na porta de casa, detalhes estava trancada com um pequeno cadeado, mais estava. A dica é trancar em algum poste ou grade porque ai sim pelo menos os meliantes não vão carrega-lá. Por falar nisso até as motos costumam ser trancadas dessa maneira.

Dublin “on foot” by LUAS

Comentários 2 Padrão

Muito se vê falar no LUAS que é um dos sistemas de transportes aqui de Dublin mais poucas informações são postadas nos blogs e vídeos confesso que nunca vi em nenhum. Na nossa série Dublin on Foot já caminhamos pelas ruas da cidade, já andamos de ônibus, visitamos parques e é claro não poderia deixar de fazer um registro do LUAS. Utilizei o serviço apenas 3 vezes e fiquei impressionado com a organização, eficiência e qualidade. Para matar a curiosidade e mostrar mais ou menos como funciona fiz um vídeo saindo da estação Tallaght até a estação Busáras que fica pertinho da minha casa, então ficou bem longo entretanto muito legal porque passa por vários setores da cidade.

Enjoy ………..