Porque você precisa fazer um intercâmbio?

Comentários 2 Padrão

Ao ver a palavra intercâmbio pela primeira vez na vida logo vem a mente aquelas imagens de filmes ou a ideia de que uma pessoa de outro país vem morar na sua casa e você vai pra casa dele em algum lugar desse mundão. Essa ideia de ter que sair de “casa” pra enfrentar um novo mundo assusta muito e você tem razão em pensar assim, afinal vamos conquistando o ambiente em que vivemos e com o tempo sair desse zona de conforto pode parecer uma loucura, e vou te falar que é.

Kipá - Necessário na visita ao túmulo do rei Davi em Jerusalém

Kipá – Necessário na visita ao túmulo do Rei Davi em Jerusalém

Um mapa de uma cidade desconhecida. Quer coisa melhor???

Um mapa de uma cidade desconhecida. Quer coisa melhor???

Acredito que todas os seres humanos tem dentro de sí essa vontade de sair viajando pelo mundo, conhecendo novos lugares, fazendo amizades e enfrentando os desafios que vão aparecer pela frente. Nossos antepassados eram assim, viviam de galho em galho por ai atrás de comida, moradia e melhores condições de sobrevivência enfrentando o frio, chuva, vento e ambientes totalmente desconhecidos. Depois de tanto andar o homem percebeu que poderia viver em apenas um lugar cultivando sua comida, construindo sua casa e criando uma certa estabilidade, antes impossível por causa das constantes mudanças. Sem me basear em estudos acredito que nesse momento surgiu a zona de conforto. Da necessidade de sobrevivência as aventuras em lugares desconhecidos passaram a serem consideradas risco.

De uma coisa eu não tenho dúvida; temos que conhecer novas realidade para formarmos as nossas próprias concepções e conceitos. Quem vive em apenas um ambiente limitado de conceitos novos e ideologias diferentes tende a ter apenas um ponto de vista sobre a vida e isso pode ser um problema a longo prazo. Os tempos mudaram e hoje todas as relações são muito globalizadas e quem tem a mente muito fechada ou sente medo do novo pode ficar pelo caminho em meio a tantas informações e novidades. Um regra de ouro hoje pode se tornar ultrapassada amanha. Um conceito forte que você tem hoje pode mudar amanhã e tudo que você pensa sobre um assunto pode não ser verdade ou ter outras interpretações, tudo depende do ponto de vista. Eu não sou contra nenhuma religião e por sinal gosto de estudar e conhecer o máximo possível sobre tudo na vida justamente para ter a minha opinião. Os livros sagrados sejam o alcorão, bíblia, torah ou o surta trazem inúmeros textos e ensinamentos que são fundamentais para seus seguidores, entretanto o que é interpretado depende do conhecimento e ponto de vista de quem esta lendo. Dizem que cada trecho pode ser entendido de uma maneira por mais que você já tenha lido aquilo por 10, 20, 100 vezes. Isso mostra que tudo depende do momento que você esta vivendo e qual é a sua bagagem cultural. Recentemente vi uma matéria sobre o EI (Estado Islâmico) que é um grupo muçulmano que vem trazendo terror a Síria e tem como finalidade instituir e converter pessoas a força criando um estado único. O interessante nisso é que a maioria dos lideres muçulmanos já declararam que esse grupo não os representa. Um desses lideres disse a reportagem: Eles estão fazendo uma interpretação própria da alcorão e isso não é o que esta escrito. Isso não acontece apenas naquela região porque no próprio Brasil vemos inúmeras situações ligadas a religião que são frutos de pessoas sem um conhecimento amplo do mundo e que entendem como querem as coisas criando situações, julgamentos e contradições.

Sabe aquela famosa frase de que existe um mundo lá fora? Sim, existe e ele é muito maior do que qualquer pessoa pensa. Eu sempre gostei de ficar olhando as pessoas e tentar imaginar o que elas estavam pensando. Se tem uma coisa que sinto falta e vou sentir é justamente essa possibilidade de pelo menos por alguns segundos ter essa sensação. No Brasil isso também acontece mas em um nível menor porque somos todos Brasileiros mas durante o intercâmbio em cada passo você tem a possibilidade de ver pessoas de diferentes países principalmente na Irlanda que é um país de muitas nacionalidades.  Isso sem falar nas viagens onde o mergulho cultural foi algo indescritivel. Graças ao intercâmbio tive a chance de conhecer mais de 35 cidades em 15 países da Europa, Africa e Oriente Médio. Esse mergulho me colocou de frente com novas realidades, pensamentos e conhecimentos que mudaram a minha vida. Hoje não sou nem de perto o mesmo André que saiu de Patos de Minas no dia 7 de março em 2011. Alias essa mudança começou um ano antes quando visitei a Bolívia durante uma excursão com o torcida Motozeiros do Cruzeiro na fase preliminar da libertadores de 2010. Já contei isso aqui no blog mas foi naquela viagem que eu tive a certeza de que o mundo é muito grande e eu precisava conhecer o máximo possível. Aquela sede que eu já existia se tornou maior e lá fui eu pra Irlanda. Depois de 3 anos e 2 meses em Dublin e com todas as coisas vividas me pergunte se essa sede foi saciada?

Anúncios

Da Irlanda pro mundo #1 – Conde Drácula

Comentário 1 Padrão

O Conde Drácula é o primeiro topico que vamos falar aqui no blog nessa nova série onde vou compartilhar com vocês dezenas de histórias, mitos e fatos historicos criados na Irlanda ou que tiveram ligação direto com a queria ilha verde.

A primeira obra que se tem conhecimento onde um autor citou o nome Conde Drácula é o livro Drácula de 1897 do autor Irlandês  Bram Stoke. O personagem é o mais famoso vampiro da ficção, e é, segundo o Guiness Book, o monstro fictício com maior número de aparições na mídia, diretas ou indiretas.

Inspiração:

O Conde Drácula do livro de Bram Stoker pode ter sido inspirado no voivode (príncipe) Vlad Tepes, que nasceu em 1431 e governou o território que corresponde à atual Romênia. Nessa época, a Romênia estava dividida entre o mundo cristão e o mundomuçulmano, (Turquia). Vlad III ficou conhecido pela perversidade com que tratava seus inimigos. Embora não fosse um vampiro, sua crueldade alimentava o imaginário de modo que logo passou para o conhecimento popular como um vampiro.

O pai de Vlad III, Vlad II, era membro de uma sociedade cristã romana (de Roma) chamada Ordem do Dragão, criada por nobres da região para defender o território da invasão dos turcos otomanos. Por isso Vlad II era chamado de Dracul (dragão), e, por conseqüência, seu filho passou a ser chamadoDraculea (filho do dragão) – a terminação “ea” significa filho. A palavra “dracul”, entretanto, possuía um segundo significado (“diabo”) que foi aplicado aos membros da famíliaDraculea por seus inimigos e possivelmente também por camponeses supersticiosos.

Vlad III era conhecido por sua pervesidade e crueldade. Certa vez, dois súditos se esqueceram de tirar o chapéu para reverenciar sua chegada e, por causa disso, Vlad mandou pregar o chapéu em suas cabeças.

Também dizem as lendas que um dia Vlad viu um aldeão com a camisa toda suja e lhe perguntou se sua esposa era saudável. O aldeão respondeu que sim e sua mulher teve ambas as mãos decepadas; e Vlad arrumou outra esposa para o aldeão e a mostrou o que acontecera com a antiga para que servisse de exemplo. Vlad tinha prazer em comer em frente de suas vítimas com os corpos empalados ouvindo seus gritos de agonia.

Muitos desses feitos levam a crer que Vlad III é a principal inspiração para o personagem, a crença que o conde Drácula é morto vivo veio de um fato que em uma de suas muitas batalhas ele levou um forte golpe na cabeça, que o deixou em coma, depois de ver o seu líder cair seus homens bateram em retirada levando consigo seu corpo e antes da fuga ser realizada, Vlad III acorda do coma como se nada tivesse acontecido e logo depois de recobrar os sentidos retornou a batalha levando seu exercito a vitória e a uma de suas mais sangrentas batalhas, criando assim a crença que ele havia retornado dos mortos como um morto vivo.

Fonte: Wikipédia

Economia Irish cresce mais que o esperado

Deixe um comentário Padrão

O Departamento Central de Estatísticas irlandês revelou hoje que a o Produto Interno Bruto (PIB) do país avançou 1,6% no segundo trimestre, face aos primeiros três meses do ano, período em que acelerou 1,9%.

O desempenho em cadeia em cadeia (entre trimestres) da economia irlandesa superou largamente as previsões dos analistas sondados pela Bloomberg, que esperavam um crescimento de 0,3%. Em termos homólogos, o PIB do Tigre Celta subiu 2,3%.

A puxar pelo PIB da Irlanda, que tal como a Grécia e Portugal está sob um resgate internacional, esteve sobretudo o investimento, que subiu 6,4%.

As exportações também, ajudaram com um crescimento de 1% no segundo trimestre, com as operações da multinacionais Microsoft e Intel a impulsionarem a economia do país abalada pelo colapso do sector imobiliário. Já as importações desceram 0,6%.

Em reacção aos dados do PIB, os juros das obrigações irlandesas estão hoje a recuar em todas as maturidades. A ‘yield’ dos títulos de dívida a dois anos, por exemplo, desce aos 9,079%, depois de terem atingido um máximos desde a adesão ao euro nos 23,2% no passado dia de 18 de Julho.

Fonte: Sapo.pt

Final de semana movimentado pro esporte Irish

Comentário 1 Padrão

Demorei pra postar esse material porque estava esperando entrar no youtube os vídeos de 2 campeonatos diferentes mais que agitaram a nação verde e laranja nesse final semana.

Primeiro a seleção de Rugby Irlandesa venceu por 15 a 6 os Australianos e mantiveram 100% de aproveitamento na copa do mundo que esta sendo realizado na Nova Zelândia. Rugby a principio pode parecer um esporte sem graça com homens fortes brigando em si, entretanto depois que se conhece as regras, a historia e tradição das equipes é impossível não ver com outros olhos. Confesso que estou me tornando fã, faço de tudo pra assistir os jogos e a cada dia me empolgo mais. O rugby é bem diferente do futebol, principal dos times atuais em que os jogadores jogam por jogar e as vezes com corpo mole. O rugby exige uma raça sem precedentes porque sem ela e muito coragem o time certamente vai perder feio. Não basta ter força física, tem que ter muita emoção, vibração e avançar sempre. Gosto claro da seleção irlandesa por quem a nação é apaixonada e também passei a gostar da seleção da Nova Zelândia que é conhecida como All Blacks. Os caras tem um diferencial dom seu Haka e ainda o apoio da torcida em seus jogos nesse mundial. A Irlanda não esta passando um grande momento mesmo tendo vencido os seus 2 jogos até agora ainda peca em alguns detalhes mais tende a crescer na competição. Acredito que eles irão passar fácil pela primeira fase e ai sim colocar todo o poderia irish a prova na próxima fase.


Não consegui um videos do jogo realmente.

Voltando pra Dublin tivemos no domingo a final do Football GAA, o futebol gaélico que é disputado com os pés e com as mãos. A principio para nos Brasileiros achamos esse esporte muito estranho e até engraçado. Assim como o rugby depois de conhecer as regras, a historia e o amor do povo Irish por este esporte não tem como não se interessar pelo assunto. A final entre Dublin x Kerry parou a cidade, bandeiras por todo lado, torcedores nas ruas com camisas de suas cidades, todos indo para o Croke Park. A muito bonito ver pais, filhos, netos todos com os uniformes. Com um final eletrizante os times se revezaram no placar o tempo todo com Dublin sempre correndo atraz até que no último segundo o ponto do titulo numa falta batida pelo goleiro dos dubs. O detalhe é que Dublin não conquistava esse titulo a 16 anos então tudo foi muito comemorado, com muito cerveja claro.



O jogo completo


THE BOYS IN BLUE

Senso de limpeza Europeu

Comentários 2 Padrão

Assim que se chega aqui uma coisa é notável, o senso de limpeza europeu é bem diferente do nosso povo Brasileiro. Minha mãe sempre me ensinou que a limpeza é um dos principais e mais preciosos hábitos do ser humano. Além da higiene pessoal claro, que é de primordial importância, a limpeza do lugar onde moramos está intimamente ligada a qualidade de vida que levamos. E a coisa pode ser bem pior do que se imagina, quando chegamos aqui ficamos 1 semana na campanhia de um africano que foi uma das pessoas mais simples que conheci na vida, humilde e daqueles que fazem mil amizades em um dia de tanto amável, entretanto ele tinha um problema: não tomava banho e suas roupas estavam digamos com o prazo de validade vencido. Eu não sou preconceituoso e sei que isso faz parte de uma cultura, então não liguei e procurava despistar a situação apesar de ser bem difícil. Essa questão da limpeza é realmente um lado bem particular e cada povo, cada país e principalmente cada pessoa tem um habito e tradição. É uma situação que incomoda muito já que não temos contato constante com essa situação no Brasil apesar de sempre termos um ou outro amigo que não gosta de tomar banho ou usar desodorante, mais o caso é bem diferente, bem diferente mesmo e se você tiver essa experiência um dia vai se lembrar disso.

Então, semana passada fui fazer um cleaner em uma casa e meu job seria limpeza dos corredores e escadas. Um apartamento relativamente pequeno mais que deu muito trabalho.

Não precisa dizer nada, essa foto já diz a situação que encontrei. Lixo pelos corredores e embaixo dos moveis. No final uma montanha de lixo, brinquedos, mamadeiras, postais e € 6,35 em moedas.

Desculpem dizer isso mais não sei como essas pessoas conseguem viver dessa forma. Claro que não são todas as pessoas da europa e nem todos os povos que “conseguem” viver dessa forma, já visitei 2 casas de Irish e estava tudo bem limpo e organizado mais me lembro que quando chegamos aqui me estávamos visitando apartamentos e casas para alugar e encontramos vários locais em que a limpeza ou a falta dela era semelhante a essas fotos.

2 meses de Irlanda

Comentários 7 Padrão

Caraca hoje completamos 2 meses de Irlanda, que isso? Se me perguntaram que a principal diferença que sentimos desde que chegamos com certeza iremos responder que é a sensação de que o tempo voa baixo por aqui. Não sei se pela rotina de ir pra aula, procurar trabalho ou a demora pra noite chegar, o certo é que se bobear aqui o dia acaba e você não fez nada, como diz minha mãe. Enfim, 2 meses já se passaram desde que chegamos no aeroporto de Dublin num clima extremamente nublado e um ventinho de cortar.
Hoje me sento bem mais tranquilo em relação à adaptação, as dificuldades iniciais e os desafios de morar em outro país. Já conheço uma parte bem grande da cidade, sei andar pra lá e pra cá; a pé, de ônibus, dart e luas. Aprendi a buscar no site do Dublin Bus qual o melhor número pegar pra ir até certo lugar, a orientação quanto aos números das regiões também vão clareando e quando se fala em alguma assunto sobre Dublin 7 por exemplo já sabemos pelo menos pra que lado fica. O tempo vai passando e a sensação de que estou na minha casa aumenta gradativamente, assim como disse quando completei 1 mês por aqui me sento muito a vontade sobre tudo. Vou citar alguns pontos que foram bacanas ou não nesse período até agora.

1) Escola: Estou gostando bastante de NED, as duas professoras são muito bacanas, dedicadas e pacientes. A salas com poucos alunos (em média 8 – 10) torna o aprendizado bem mais próxima e humana, o ambiente não é de sala de aula mais sim de bate papo entre amigos. Chegamos a quinta semana de aula e já noto um avanço da língua, quando cheguei entendia um pouco e falava praticamente nada. Hoje já compreendo bem melhor, mais bem melhor mesmo e a fala também já destravou, a cada dia avanço um e me sinto mais seguro e sem medo pra perguntar coisas na rua, nos supermercados e rodas de pessoas. Não sou muito de estudar confesso, nunca fui em toda a minha vida acadêmica mais em sala de aula foco 100% e converso bastante nos exemplos, textos e atividades.

2) Moradia: Ainda estou no flat que alugamos e não pretendo sair tão cedo daqui, é bem localizado, aluguel barato e ainda tenho ótimas flatmates. Muita gente me pergunta sobre aluguel e repito o que digo pra todos: Faça contatos antes de vir, entre em todas as comunidades e tente encontrar pessoas que estarão vindo na mesma época e assim que chegar conheça todas as pessoas da acomodação estudantil porque delas poderão sair as pessoas com quem você vai alugar um lugar pra morar. A não ser os contatos apenas depois que chegar aqui você terá condição de realmente procurar uma casa. Pergunte na escola, veja no mural e pesquise sempre antes de fechar. O bom é sempre claro, encontrar pessoas que queiram dividir e alugar uma casa fechada com certeza sai mais barato.

3) Transporte: Andei algumas vezes de ônibus, de DART e LUAS, todos os meios são bem organizados e rápidos com destaque para o LUAS que mesmo mais caro um pouco é bem rápido, moderno e eficaz. Só fui fazer umas entrevistas e no dia que trabalhei no Hotel o resto é on Foot 100%, ir e voltar pra escola sempre a pé, mais se for necessário vou fazer os cartões de ônibus que tem várias opções e planos. Fiz meu cadastro no Dublin Bikes, estou esperando chegar o cartão porque ai sim terei uma economia de pernas no dia a dia.

4) Comida: Continuamos achando que é muito barato, claro que não é tudo e tem que pesquisar, criar regras e organizar bem as compras semanais porque se não somos enganados pelo senso de “barato” e acabamos comprando mais do que precisamos. Rode por todos os supermercados e veja o que é mais barato em cada um, faça sua rota e compre muito por pouco. Entre os que compramos esta na ordem: Tesco, Lidl, SuperValu e Iceland.

5) Língua: Como disse acima é uma questão de avanço natural das coisas, a cada dia se aprende um pouco e o vocabulário vai aumentando naturalmente, com o tempo vêm os verbos, conjunções e as frases começam a sair mais certas porque no inicio a sensação de que esta se falando igual índio é certa: Pão quero obrigado. Kkkkkkkkk não se importe com isso as pessoas entendem, às vezes olham meio estranho mais você falou, ela entendeu e fim de papo, o lance é sempre estar falando alguma coisa, estar tentando conversar errado ou certo não importa. Acho que cheguei aqui com um inglês de 1% hoje acho meu listening esta em 30% e minha fala uns 11%, é como eu digo pra todo mundo que me pergunta é natural, sem ver você esta sabendo as palavras e vai indo.
Curiosidade: Estou sonhando em inglês, no sonho meu inglês é idêntico ao que falo, nos primeiros dias achei estranho demais, acordei meio sem entender mais é isso ai meu amigo, o intercâmbio muda até seus sonhos.

6) Saudade: Ainda não tive saudade de nada, não sei se é porque sou meio frio ou se planejei por tanto tempo estar aqui que me sinto muito bem e confesso que passo até um dia inteiro sem pensar em nada do Brasil, tem dias que sinto falta da minha mãe mais esta tranquilo por enquanto. Tem um dia que deu saudade de manga, as outras coisas claro que sinto vontade como, por exemplo, carne que como pouco por enquanto só quando encontro um bom reduced. No geral está tranquilo porque as coisas que senti vontade de alguma coisa, compro sempre coisas diferentes e quase sempre encontro muitas coisas saborosas e bacanas. O lance da saudade é muito complicado como já disse, depende muito da pessoa, do que ela quer e acima de tudo como se preparou. Na semana passada um dos grandes amigos que fiz aqui voltou pro Brasil depois de apenas 20 dias na terra verde, ele não suportou a saudade da sua cidade, dos familiares e do ar brazuca. Foi uma pena porque é uma pessoa que com certeza teria muito sucesso por aqui mais cada um sabe de seus limites e ele me disse que se ficasse aqui mais uma semana iria pirar. Por isso planeje bem, deixe passar o impulso da vontade inicial e veja se a vontade de vir pra cá partiu do coração ou da emoção.

7) Trabalho: Ai sim as coisas não estão muito boas, realmente como já sabia o trabalho é uma coisa que esta difícil pra caramba, existem vagas e mais vagas mais nem sempre é tão fácil. Trabalhei por 3 dias fazendo limpeza em um evento, o dim dim foi bom porque dá pra pagar meu aluguel e metade da minha comida, tenho contato pra mais 3 eventos mais não é fixo, ou seja, apenas bicos que mesmo que dêem uma grana muito boa suficiente para as despesas não deixa de ser ruim porque não é fixo. O esforço tem que ser grande, assim estou claro, correndo atrás conversando com as pessoas e fazendo contatos. Acredito que tudo dará certo pelo menos esses bicos vão me manter por um bom tempo. Agora para as meninas a coisa é bem diferente, os empregos de Aur Pair estão pipocando na internet, são milhares de sites e oportunidades, a Stéfane vinha fazendo planfletagem e ganhando até bem, cerca de 50 euros por 4 horas de trabalho teve um dia que trabalhou durante o dia e parte da noite e ganhou 70 euros. Mais como também o trabalho não é fixo minha queria teve que se mudar, sim a Stéfane foi convidada para trabalhar de Aur Pair em outra cidade, foi fez o teste e hoje já esta oficialmente contratada. Confesso que não é uma coisa fácil na vida de um casal, se separar assim com a possibilidade de se ver mais ou menos 2 ou 3 vezes por mês mais como planejamos muito e viemos com essa possibilidade já estudada o choque não foi tãoooo grande. Trabalhar de Au pair depende de uma série de fatores que devem ser estudados e conversados muito antes de fechar oficialmente com a família. A primeira coisa é pedir Holiday na escola para o período que se pretende fica na casa e depois as condições de trabalho, moradia, alimentação e convivência. As principais vantagens são: Contato direto e diário com a língua, a evolução será clara, conversando com a Stéfane nas poucas mais de 48 horas na casa da família ele sentiu que evoluiu bastante, não tem como é uma necessidade porque têm que se conversar com as pessoas e como se houve o tempo todo, as novas palavras vão sendo incorporadas e as frases vão surgindo. Outra vantagem é não ter despesas com aluguel e alimentação porque tudo esta por conta da família. Como a Stéfane ainda esta sem computador ela não pode compartilhar esse inicio de trabalho mais com certeza vai postar muita coisa sobre essa que será uma grande experiência pra ela porque uma coisa é morar com brasileiros e estudar inglês outra coisa é você trabalhar, comer e viver intensamente 24 horas do dia e rotina de uma família Irish.

“Grandes vitórias exigem grandes sacrifícios”