Porque você precisa fazer um intercâmbio?

Comentários 2 Padrão

Ao ver a palavra intercâmbio pela primeira vez na vida logo vem a mente aquelas imagens de filmes ou a ideia de que uma pessoa de outro país vem morar na sua casa e você vai pra casa dele em algum lugar desse mundão. Essa ideia de ter que sair de “casa” pra enfrentar um novo mundo assusta muito e você tem razão em pensar assim, afinal vamos conquistando o ambiente em que vivemos e com o tempo sair desse zona de conforto pode parecer uma loucura, e vou te falar que é.

Kipá - Necessário na visita ao túmulo do rei Davi em Jerusalém

Kipá – Necessário na visita ao túmulo do Rei Davi em Jerusalém

Um mapa de uma cidade desconhecida. Quer coisa melhor???

Um mapa de uma cidade desconhecida. Quer coisa melhor???

Acredito que todas os seres humanos tem dentro de sí essa vontade de sair viajando pelo mundo, conhecendo novos lugares, fazendo amizades e enfrentando os desafios que vão aparecer pela frente. Nossos antepassados eram assim, viviam de galho em galho por ai atrás de comida, moradia e melhores condições de sobrevivência enfrentando o frio, chuva, vento e ambientes totalmente desconhecidos. Depois de tanto andar o homem percebeu que poderia viver em apenas um lugar cultivando sua comida, construindo sua casa e criando uma certa estabilidade, antes impossível por causa das constantes mudanças. Sem me basear em estudos acredito que nesse momento surgiu a zona de conforto. Da necessidade de sobrevivência as aventuras em lugares desconhecidos passaram a serem consideradas risco.

De uma coisa eu não tenho dúvida; temos que conhecer novas realidade para formarmos as nossas próprias concepções e conceitos. Quem vive em apenas um ambiente limitado de conceitos novos e ideologias diferentes tende a ter apenas um ponto de vista sobre a vida e isso pode ser um problema a longo prazo. Os tempos mudaram e hoje todas as relações são muito globalizadas e quem tem a mente muito fechada ou sente medo do novo pode ficar pelo caminho em meio a tantas informações e novidades. Um regra de ouro hoje pode se tornar ultrapassada amanha. Um conceito forte que você tem hoje pode mudar amanhã e tudo que você pensa sobre um assunto pode não ser verdade ou ter outras interpretações, tudo depende do ponto de vista. Eu não sou contra nenhuma religião e por sinal gosto de estudar e conhecer o máximo possível sobre tudo na vida justamente para ter a minha opinião. Os livros sagrados sejam o alcorão, bíblia, torah ou o surta trazem inúmeros textos e ensinamentos que são fundamentais para seus seguidores, entretanto o que é interpretado depende do conhecimento e ponto de vista de quem esta lendo. Dizem que cada trecho pode ser entendido de uma maneira por mais que você já tenha lido aquilo por 10, 20, 100 vezes. Isso mostra que tudo depende do momento que você esta vivendo e qual é a sua bagagem cultural. Recentemente vi uma matéria sobre o EI (Estado Islâmico) que é um grupo muçulmano que vem trazendo terror a Síria e tem como finalidade instituir e converter pessoas a força criando um estado único. O interessante nisso é que a maioria dos lideres muçulmanos já declararam que esse grupo não os representa. Um desses lideres disse a reportagem: Eles estão fazendo uma interpretação própria da alcorão e isso não é o que esta escrito. Isso não acontece apenas naquela região porque no próprio Brasil vemos inúmeras situações ligadas a religião que são frutos de pessoas sem um conhecimento amplo do mundo e que entendem como querem as coisas criando situações, julgamentos e contradições.

Sabe aquela famosa frase de que existe um mundo lá fora? Sim, existe e ele é muito maior do que qualquer pessoa pensa. Eu sempre gostei de ficar olhando as pessoas e tentar imaginar o que elas estavam pensando. Se tem uma coisa que sinto falta e vou sentir é justamente essa possibilidade de pelo menos por alguns segundos ter essa sensação. No Brasil isso também acontece mas em um nível menor porque somos todos Brasileiros mas durante o intercâmbio em cada passo você tem a possibilidade de ver pessoas de diferentes países principalmente na Irlanda que é um país de muitas nacionalidades.  Isso sem falar nas viagens onde o mergulho cultural foi algo indescritivel. Graças ao intercâmbio tive a chance de conhecer mais de 35 cidades em 15 países da Europa, Africa e Oriente Médio. Esse mergulho me colocou de frente com novas realidades, pensamentos e conhecimentos que mudaram a minha vida. Hoje não sou nem de perto o mesmo André que saiu de Patos de Minas no dia 7 de março em 2011. Alias essa mudança começou um ano antes quando visitei a Bolívia durante uma excursão com o torcida Motozeiros do Cruzeiro na fase preliminar da libertadores de 2010. Já contei isso aqui no blog mas foi naquela viagem que eu tive a certeza de que o mundo é muito grande e eu precisava conhecer o máximo possível. Aquela sede que eu já existia se tornou maior e lá fui eu pra Irlanda. Depois de 3 anos e 2 meses em Dublin e com todas as coisas vividas me pergunte se essa sede foi saciada?

Anúncios

Comprar no Tesco – Uma experiência divertida

Comentários 4 Padrão

Eu vou confessar que sempre quis pegar os produtos no supermercado e passar no leitor para fazer aquele bip. Sempre me pareceu uma experiência interessante e ficava vendo como os funcionários conseguem fazer tudo tão rápido, ou não dependendo do lugar kkkk . Claro na minha época de criança as coisas eram ainda na caderneta e só depois de muito tempo que os supermercados do meu bairro passaram a ser controlados assim por sistemas modernos mas sempre tive essa fascinação kkkkkk. Assim como passar os produtos no leitor, mexer na caixa registradora era outra coisa que parecia ser muito divertida porque levantar aqueles “ganchos” em que as notas ficam pressas parecia um video game. Essas coisas parecem ser tão idiotas mais faziam parte da vida de várias pessoas que eu já conversei. Cada um tem uma loucura diferente e sempre todos imaginam sobre processos e sistema de grandes empresas.

Modelo mais comum em bares e restaurantesBem, aqui em Dublin pude realizar esse sonho de criança porque no estádio tenho que controlar a grana no máquina registradora que em inglês se chama “Till” ou “Cash Register” (expressão que não e comum aqui na Irlanda, todo mundo conhece como Till). So faltava então “passar o produto no bip” e rir de tão muito de tudo. Sempre que vou no Tesco faço isso e por mais estranho que pareça me divirto muito. Além de passar o produto, outra coisa interessante é que você mesmo paga com notas, moedas ou cartão, coloca tudo na sacola e vai embora. Ninguém vai lá conferir se você passou todos os produtos ou mesmo se pagou. O sistema é bem interessante e a primeira dúvida que vem a cabeça e se isso iria funcionar no Brasil. Eles até tem uma funcionaria para ajudar em casa de dúvida mas conferência mesmo eles não fazem. É uma loucura porque se você quiser pode dar o golpe geral e até Já ouvi várias historias de brazucas que fazem a “feira” por lá, infelizmente.

2013-08-05 17.47.29

2013-08-05 17.47.49

O processo é bem simples e basta clicar em start e ir passando os códigos. Você coloca os produtos na outra ponta onde eles tem que ficar ate o  pagamento. Depois você escolhe a forma de pagamento, efetua o pagamento e pode retirar os produtos retirando o comprovante de compra. Todo o processo é bem rápido e divertido então da próxima vez que você for comprar no Tesco do Jervis, Temple Bar ou Dumdrum (onde eu já fui pelo menos) tenha essa experiência realmente interessante não só pelo fato de ser caixa por um dia mais também de entender a cabeça do povo por aqui onde a responsabilidade é de cada pessoa e não de um guarda que fica olhando tudo que você faz. Eles tem segurança por câmera, pessoal etc claro, porque problemas com roubos acontecem também mais comprar, passar e pagar é realmente uma coisa que demorou a entrar na minha cabeça como uma coisa normal. Da mesma forma o sistema de transporte LUAS onde você mesmo compra o ticket e depois basta entrar no trem sem catracas etc… Tomara que em algum dia as coisas no Brasil cheguem pelo menos perto disso porque é muito bom.

Estamos de volta – Dublin 2012

Comentários 22 Padrão

Olá pessoal depois de nossas merecidas férias estamos de volta as atividades normais do blog e temos muitas coisas pra contar sobre os acontecimentos desse final de ano e ano novo.

Primeiro gostaríamos de agradecer a marcar de 100 mil visitas alcançadas durante nosso break. Confesso que quando entrei aqui e vi o número de 104 mil vistas (hoje) fiquei surpreso e muito feliz. É um número pequeno comparado aos grandes conglomerados da internet mais estamos indo bem e claro tudo isso só é possível graças as visitas de vocês e o carinho de sempre.

Bem vamos os pontos que merecem nosso destaque nesse final de ano e início de 2012.

1) Stéfane esta trabalhando num café: Depois de ficar 6 meses trabalhando como aupair a Stéfane voltou pra Dublin onde retomou seus estudos. Claro depois de uma maratona dessa ela merecia um descanso que por sinal foi breve. Depois de 3  semanas ela saiu em busca desse novo desafio que é conseguir um trabalho sem indicação. Em menos de 10 dias ela já tinha conseguido algumas coisas para promoção de eventos e depois de 15 dias ela ja tinha um teste muito bom num café. Pronto ela fez o teste e passou, completou 1 mês já e ela esta se dando muito bem. Ela vai contar os detalhes em um post especifico sobre isso depois. Detalhe para quem fala que não tem emprego aqui: Ela conseguiu sozinha o trabalho, viu a placa na porta, entrou se apresentou e o cara gostou muito dela mesmo ela não tendo em seu Cv. uma grande experiencia com a atividade de café. É como eu sempre digo, quem arrisca, tenta e se esforça sempre consegue as coisas por aqui.

2) André segue na NED: Por falar em emprego sigo firme e forte trabalhando com os alunos da escola NED. Graças a Deus estou me saindo muito bem, mantendo bons contatos e crescendo nas vendas a cada dia. Continuo também com meu segundo emprego onde vendo bebidas em jogos e shows, nos últimos 2 meses do ano trabalhei praticamente todos os finais de semana, o que foi muito bom para meu caixa já que com essa atividade consegui pagar minhas despesas do més de dezembro. Apesar de ser pesado as vezes estou aprendendo muitas coisas para minha vida pessoal e profissional. É uma atividade em que você tem contato direto com o público e isso é ótimo, além de ganhar o meus euros eu ainda me divirto, converso com o povo, rio muito e faço ate amizades com outros funcionários. Descobri um segredo muito grande aqui recentemente: O povo em geral não esta acostumado com sorrisos e gentilezas por parte dos atendentes em geral do comercio. Nessa atividade em si o proposito é o contato direto então depois que comecei a fazer isso com mais frequência minhas gorjetas subiram muito chegando e incrível marca de 50 euros num show que trabalhei no dia 29 de dezembro. O interessante é que nesse dia eu fui o maior vendedor da noite, ganhei um pagamento extra pelo feito e um elogio do Boss, claro alem da generosa gorjeta. Nesse show pra vocês terem uma ideia eu vendi 350 cerveja de 500ml, mais de 2200 euros… esse dia foi ducaralho mesmo fiz praticamente 100 euros em 4 horas e 2 calos nos dedos de tanto abrir as garrafinhas.

3) Natal: Passamos o Natal em casa mesmo onde fizemos uma ceia simples mais com muito amor. Rezamos, comemos e dormimos heheheh

4) Ano novo: A virada do ano é uma coisa meio parada em Dublin. Nada demais, apenas uma reunião na região do College Green, shows locais e muita bebedeira claro. Nos fomos para a casa de nosso casal de amigos Junior e Liara onde pela primeira vez na vida experimentei comida japonesa. Tecnicamente não gosto de peixe pelo cheiro mais o pessoal manda muito é experimentei tudo até salmão cru, gostei muito de tudo e até aprendi a mexer com os pauzinhos hehehe.

5) Vamos mudar: Estamos chegando já ao final do nosso contrato de locação da casa onde estamos atualmente e como as coisas melhoraram consideravelmente vamos mudar para uma casa mais perto do nosso trabalho. Nossos locais de trabalho é praticamente ao lado um do doutro então Dublin 8 é ideal e onde você pode encontrar ótimas casas. Para isso vamos alugar uma casa maior juntamente com um casal de amigos nossos que vai chegar dentro de exatos 30 dias. Nossas flatmates terminaram seus cursos e vão retornar para o Brasil no incio de Março.

6) Inverno e neve: Para quem veio do Brasil e queria passar o final do ano vendo neve a realidade foi meio cruel. Tivemos uma farelinho de neve em apenas 1 noite, depois mais nada. Ao contrario do que todo mundo falou esse ano o inverno esta sendo tecnicamente quente. Na semana passada os termômetros estavam marcando incríveis 12 graus, fato que chega a ser engraçado comparado a temperaturas de 1, 0 ou -8 do ano passado. Desde quinta passada o clima esfriou um pouco mantendo na casa dos 3 graus mais nada demais assim. Achei que quando fizesse esse frio fugiria para outro pais mais confesso que estou gostando muito. Agora por exemplo a temperatura esta em 7 graus e a previsão para a resto da semana é se manter entre 6 e 2 graus. Para não ter problemas nessa temperatura recomendo uma blusa grossa, luva, gorro e meias também mais grossas, o resto é tranquilo. Claro frio depende da pessoa mais ninguém vai morrer aqui de frio, podem ficar tranquilos.

7) Voltamos para a aula: A Stéfane já tinha voltado pra aula no final do ano passado mais eu consegui me organizar apenas agora nesse inicio de ano e desde a semana passada estou frequentando as aulas. Foi muito muito voltar é muito legal, o melhor é que deixei a escola para poder trabalhar quando estava no level 1 e agora depois de um teste retornei para o level 3. Confesso que não estudei quase nada em casa mais procurei falar inglês o máximo quando dava nos trabalhos que passei e principalmente nas tarefas diárias. Lembro que quando entrei no level 1 com inglês quase 0 não entendia muito bem o professor. Hoje depois desse tempo na Irlanda consigo entender quase 90% de tudo que ele fala o que me deixa muito satisfeito com tudo que vivi ate agora na Irlanda. Se ver que eu estudei apenas 2 meses e sai pra trabalhar e so retornei agora meu desenvolvimento foi muito bom. No final do ano passado aconteceu um teste do LCCI aqui na NED e aproveitei para fazer e testar qual é meu real nível de inglês. Uma prova dividida em 3 partes bem grande onde você tem questões de marcar, uma parte onde ouve um texto e responde as questões e outra onde voce é avaliado de acordo com a fala através de um gravador. Bem não estudei nada pra fazer essa prova e fui com a coragem e o inglês que desenvolvi até agora. Resultado tirei 75%. Confesso que me surpreendi e ganhei um gás muito grande para me dedicar aos estudos nesse ano, fato que ja estava dentro do meu planejamento inicial onde sabia que no primeiro ano dificilmente teria o tempo todo para estudar. Estou muito feliz e confiante em tudo para esse ano de 2012.

8) Vamos renovar o visto: Como já disse aqui mesmo no blog vamos renovar nosso visto para o segundo ano em Dublin. Já estamos terminando de pagar já que parcelamos em 5x a nossa renovação. Estrategia essa disponível para todos os alunos aqui na NED inclusive para quem vem de outras escolas. Esse sistema é bacana porque você paga praticamente 100 euros por mês, o que não aperta mesmo para quem tem um emprego com poucas horas por semana. Ainda faltam quase 3 meses mais o planejamento é necessario.

9) Despesas da viagem pagas: Terminamos de pagar nesse mês de janeiro todas as nossas despesas da viagem. Como todos sabem viemos com curso, passagem e seguro saúde parcelado no cartão de crédito e começamos a pagar somente depois que desembarcamos na terra verde. Foi uma loucura muito grande mais sempre acreditamos e tínhamos a certeza de que tudo iria dar certo. Passamos por alguns meses muito apertados, muito mesmo onde tivemos que controlar todos os gastos inclusive com comida mais hoje graças a Deus esta tudo quitado e principalmente temos a certeza que somos vitoriosos, primeiro pela coragem de assumir uma despesas de praticamente 11 mil reais cada um e depois por estar tudo quitado. Não recomendo isso pra ninguém porque é bem complicado mais cada um sabe os riscos que tem que correr para realizar um sonho.

10) Aventuras culinárias: Esse intercambio tem sido pra mim uma escola muito grande no que se diz respeito a alimentação. Descobri que sou capaz de fazer coisas incríveis na cozinha, claro com a ajuda do meu amigo google e as dicas da Stéfane. Para vocês verem o que ponto chegamos já estou fazendo pastel, bolos de todos os sabores, carnes e até Pão de Queijo em Dublin… Diga ai… sou ou não sou um verdadeiro mineiro.

11) Não vi o Bono na Grafton mais ele passou na minha frente no The O2: Todo mundo disse que veria o Bono na Grafton e não é que o danado realmente apareceu por lá na noite de natal. Eu estava em minha casa e nem passei perto porque dias antes vi o cara na minha frente enquanto trabalhava no show da Imelda May no O2. Carregamos uma mochila nas costas onde tem um bandeira com a marca da bebida que estamos vendendo. Quando começa o show principal temos que remover essa bandeira para não atrapalhar a visão do publico. Fui para parte da tras das cadeira para retirar minha cadeira quando surge 4 caras de preto de uma porta que nunca tinha visto se abrir. Logo percebi que ero o Bono pelo oculos de sempre e o cabelo. Na hora me deu um susto que quase chorei, não sabia se pegava o celular pra tirar uma foto (se tirasse seria demitido na hora porque meu supervisor estava ali perto) ou fazia alguma coisa estupida like a fã. Mantive o controle e segui ele. Para minha surpresa ele se sentou no meio do povo nas cadeiras normais. Claro, detalhe desse show que o publico é mais controlado e ele não teve provlemas. Bem passei la perto umas mil vezes pra ter certeza que era ele e comentei com meu outro amigo Brasileiro que estava trabalhando no dia. Ao final do meu trabalho quando o show ainda estava rolando meu boss me pediu pra ficar perto do camarote esperando 4 pessoas que iriam pegar uma credencial comigo, com isso fiquei embaixo bem perto do palco onde para meu delírio e o de todos os presentes Bono surge como convidade da Imelda May para 3 músicas. Pronto posso ir embora da Irlanda pois realizei um dos meus sonhos nessa terra. Claro não era o U2 mais foi muito louco. Segue uns videos que achei no youtube.



Agora para quem não esteve na Grafton segue também os videos:



12) Novidades no Blog: Com esse retorno pretendemos manter o número de pelo menos uma postagem por dia no blog, agora que me organizei melhor posso fazer esse compromisso e ainda adiantar que teremos novidades. A primeira novidade vocês já estão vendo desde a semana passada que será a postagem de uma foto de algum ponto de Dublin diariamente. Teremos a volta do Dublin on Foot e ainda uma reformulação total do layout ainda no primeiro semestre. Vamos tentar postar sempre coisas novas e garantir o conteúdo único que sempre tivemos. Uma outra novidade que nem é assim tanto novidade é o nosso formulário de orçamento disponibilidade através do blog onde você recebe um orçamento personalizado para seu intercambio. Teremos mais videos e fotos também e para começar fiz um video nesse final de semana de uma banda que toca sempre na Grafton e queria compartilhar com vocês, a banda se chama TRM (www.trm.ie).

6 meses de Irlanda, mais já?

Comentários 26 Padrão

A frase já esta repetida aqui no blog mais como o tempo passa rápido por aqui, não parece mais já completamos 6 meses (8 de setembro). Me lembro quando saímos da nossa querida Patos de Minas carregando malas cheias de roupas, tênis, pão de queijo e muitos sonhos e hoje chegamos ao expressivo número de 6 meses. Muita coisa se passou desde aquela terça feira nublada e fria do dia 8 de março e hoje estamos com metade da primeira parte do nosso projeto percorrida, muitos obstáculos foram vencidos e várias conquistas, muitas lições, um amadurecimento muito grande e certeza de ter feito um ótimo planejamento porque tudo saiu dentro do previsto e não chegamos a passar grandes dificuldade financeiras. Graças a Deus na última hora quando estava com apenas 20 euros consegui um trabalho pela indicação do meu amigo Junior e depois disso todas as coisas estão caminhando muito bem e melhorando a cada dia. Vou dar uma passada em alguns pontos importantes nesse tempo.

CADA UM SABE OS RISCOS E O QUE FAZER PARA SE ATINGIR UM OBJETIVO BASTA TER MUITA CORAGEM E PRINCIPALMENTE PERSEVERANÇA.

PLANEJAMENTO

Só chegamos aqui graças ao planejamento bem feito que tivemos. Viemos com passagem área, curso e seguros divididos no cartão de credito. Pegamos dinheiro emprestado para poder tirar o visto e arriscamos tudo em função de um sonho. Foi tenso porque tínhamos que nos manter aqui e ainda mandar um complemento financeiro para cobrir o cartão de crédito no Brasil mas hoje 6 meses depois da loucura de tomar essa decisão já quitamos o seguro e estamos nas últimas da passagem aérea e do curso. Em Dezembro quitamos tudo dai só ficara a grana que pegamos emprestado para declarar na imigração hehehe, essa é a segunda parte do projeto que vai ser resolvida de uma forma bem mais rápida. Claro para conseguir isso controlamos ao extremos de gastar apenas 10 euros de comida por semana pra cada um e não sair de jeito nenhum porque cada centavo esta planejado e não poderia ser gasto de qualquer maneira.

CHEGADA

É estranho quando se chega aqui porque depois da euforia do voo a chegada é meio tensa porque você vai vendo as ruas e pensando é aqui mesmo? como vão ser as coisa? será que vai dar certo? são tantas dúvidas que chega a assustar, você não tem escolha e tudo que viu na internet sobre a cidade de repende esta a sua frente… do medo da chegada a sensação de ter chegado mesmo levam algumas horas ou dias. O mais interessante é saber que você esta a centenas de quilometros de casa e que não tem como voltar pra trás, pelo assim da noite para o dia.

ADAPTAÇÃO

Nossa adaptação pode-se dizer que foi muito tranquila, não tivemos dificuldade com comida, clima, agua, nada.. tudo muito tranquilo. Até do frio que achavamos que seria dificil mais de boa até agora, vamos ver no inverno que esta chegando como vão ser as coisas. A gente se sente em casa porque todo é tão tranquilo que certas dificuldade nem são notadas e as coisas boas passam por cima disso tudo. Andamos por qualquer canto da cidade tranquilamente já e temos condições de orientar bem as pessoas nas ruas sobre pontos turisticos, lojas e outras situações que se exige um senso de localização. Não tivemos problema nenhuma com segurança, não fomos atacados na rua por ninguem, não vimos grandes problemas e sentimos um clima muito bom na cidade mais claro que tem problema, regiões mais dificeis mais assim….. anos luz do Brasil no quesito segurança. Não tivemos problemas tambpem com o fuso horario porque na chegada é tanta coisa pra fazer, a ansiedade é muito e você acabando deixando o sono de lado e quando deita mesmo pra dormir é so fechar o olho e apagar ….

EMPREGO

A coisa não está fácil realmente mais depois de 3 meses todo mundo se acerta e arruma pelo menos um trabalho de 3 dias por semana que se tornam mais que suficientes para pagar as despesas. Conheço pessoas que tem 2, 3 empregos e olhe que não tem assim um inglês de ponta em…. os caras tem coragem, tem raça e saem atras do trabalho igual loucos, não ficam em casa com um computador no colo e muito menos tem medo de levar não. Todos os dias saem com 50 Cv debaixo do braço e bate de porta em porta…. é uma questão de tempo até encontrar alguma coisa. Mais fácil ainda para aqueles que desenvolvem uma rede de amigos bacana e são lembrados para uma indicação, essa rede de amigos não é feita necessariamente num pub mais na escola, na rua, na internet em tudo que lugar. Aqueles que mais se dão bem são aqueles que ajudam os outros, que indicam plaquinhas de empregos e vão juntos lutando porque a maioria das pessoas que vem pra cá infelizmente se tornam mesquinhas ao ponto de negar um simples telefone do cara que controla as bikes que fazem o transporte das pessoas (aconteceu comigo). Um amigo me disse que as pessoas chegam aqui e viram bichos, não conhecem os brasileiros irmão de país e literalmente correm de todo mundo com medo de perder um trabalho de limpeza num hotel, uma venda de jornal ou qualquer outra coisa. Desde que cheguei sempre tive a ideia ao contrario sempre ajudei quem eu pude, dei dicas, enfim sempre caminhei junto com quem me pediu ajuda ou alguma coisa e acho que tudo da certo para quem faz o bem sem olhar a quem. Hoje fico feliz ao ver pessoas que chegaram junto comigo trabalhando e construindo seus sonhos com muita luta…. sempre estou disponível pra qualquer coisa. Já ajudei pessoas que depois nem me disseram obrigado, outras que sumiram e outras ainda que se tornaram amigos e amigas pessoais, mais e dai, isso não importa o legal e saber que esta se fazendo o bem.

Hoje vejo pessoas correndo pra todo lado atras de trabalho assim como eu fiz também, sem descansar, sem tempo pra balada e muito menos pra uma pint de 5 euros, mais tenho a certeza de que todos vão se acertar porque hoje depois de 6 meses vejo que o emprego realmente está difícil mais é quase igual ao Brasil. Imagine você mudando pra uma cidade onde não conhece nada e ninguém e ainda por cima não fala bem a língua.. é começar uma historia do zero, é um risco muito grande mais depois de algum tempo de dedicação e esforço o trabalho vai aparecer. Conheci pessoas que chegaram e na mesma semana conseguiram trabalho, pessoas que depois de 1 mês já tinham um fixo e outros que levaram 3 ou 4 meses como eu. É tudo uma questão de estar no local certo e na hora certa então quando mais tentar maiores serão as chances.

Bem eu trabalhei num hotel durante 3 dias no primeiro mês depois fiz um bico num restaurante onde me enrolaram e queriam que trabalhasse 1 semana de graça, sai fora e continuei a luta. No final do segundo mês consegui um trabalho por indicação num restaurante italiano onde fiquei exatos 3 meses, passei muitas barras por lá, muuuuuitas mesmo credo, foi uma fase terrível em que eu pensei em desistir várias vezes mas como não tinha escolha o jeito foi aguentar e seguir em frente. A dificuldade com a língua que em muitas vezes pegou, sem falar na relação funcionário x chefe que era terrível eram minhas cruzes … Mesmo com esse trabalho continuei procurando outras coisas, enviava currículo todo dia pra tudo que lugar, ficava sabendo de uma coisa e corria lá. Consegui algumas vagas pra trabalhar em limpeza de eventos mais como os horários não deram certo acabei dispensando. Depois desse tempo graças a uma boa relação que sempre tive com a escola NED fui convidado pra trabalhar no marketing e vendas da escola onde estou vai fazer 3 semanas. Depois disso também consegui um trabalho de vendedor de refrigerantes, cerveja e cachorro quente em estadio, só fui uma vez por enquanto mais vai aparecer outros dias e com certeza estarei na lista de staff porque fui muito bem no primeiro dia. O lance é correr muito atras e nunca desistir. Aqui cada um esta por conta própria e se você não fizer as coisas ninguém vai fazer por você, você pode ate ser ajudado com uma indicação mais certamente terá que correr muito, mais muito mesmo até conseguir se firmar por aqui.

A Stéfane conseguiu uma posição de Au pair logo no primeiro mês e onde esta ate hoje, ela vai voltar no inicio de novembro pra Dublin para retomar as aulas e agora sim com inglês melhor tentar um emprego por aqui. As coisas para meninas são bem mais simples e fáceis, é chegar se cadastrar nos sites com um bom currículo verdadeiro ou não e ter a coragem de se arriscar nessa aventura que é morar numa casa Irish. Claro que existem outras vagas em outras atividades para as meninas mais Au pair realmente é o caminho mais fácil para se ganhar os primeiros euros aqui na europa.

O BLOG

Da ideia de deixar os amigos informados no Brasil acabamos criando um grande ponto de encontro de pessoas interessados em intercambio. Hoje temos em média 700 visitas por dia, tudo graças a muito esforço e dedicação para manter o blog sempre atualizado. É um prazer pode ajudar as pessoas, receber um comentário positivo, um elogio mais principalmente saber de e alguma maneira estamos facilitando o processo difícil e confuso que um planejamento de intercambio afinal passamos pela mesma experiencia e sabemos que falta muita coisa na internet e é em cima disso que sempre estamos trabalhando. Claro que tudo depende da combinação de horários e fatos interessantes então tem semanas que atualizamos mais e outras menos entretanto nunca deixamos menos de 3 post semanais mantendo sempre o blog como fonte de informação. O mais interessante é depois você encontrar pessoas aqui em Dublin numa roda e alguém dizer que acessava o blog, que foi legal e tal… já teve vezes que alguém disse isso e fiquei caladinho heheh só ouvindo a experiencia da pessoa, muito legal … isso não tem preço. Acredito que o blog abriu muitas portas pra mim porque graças a ele fui condidado pra ser colunista do Dublin para Brasileiros onde conheci várias pessoas que de certa forma sempre me ajudam com algo e assim vamos levando esse projeto.

ALIMENTAÇÃO

No inicio controlamos muito nossa alimentação para não gastar além do que podíamos mais hoje com as coisas caminhando bem nossa sacolinha sempre tem bastante variedade, melhor até que no Brasil porque aqui temos mais horários para as coisas, temos mais planejamento do dia, coisa que não acontecia no Brasil onde 90% da nossa alimentação era de padarias e lanchonetes. Nesses 6 primeiros meses eu perdi 9 kg. Faço meu próprio almoço o que foi um desafio também porque não sabia nem fritar ovo direito mais como minha família tem no sangue a culinária não tive problemas e hoje já sei fazer um cardápio bem bacana, heheheh. Um ponto que ajudou nessa perca de peso foi cortar as frituras, aqui não como nada frito só assado e também andar me fez muito bem (nossa como a gente anda aqui). Antes não ia na esquina a pé hoje são pelos menos 20 minutos de caminhada todo dia. Quando estava procurando trabalho andava quase 13 km por dia. Essa parte esta sendo muito bacana porque compramos muita coisa diferente da nossa alimentação no Brasil porque aqui as coisas são muito baratas, você vai no Tesco e com algumas moedas já enche a sacola.

MORADIA

Na primeira semana em Dublin encontramos o AP que estamos até hoje, ele é bem localizado no centro da cidade e perto de tudo, pagamos 200 euros cada um pelo quarto com cama de casal. Moramos em 4 pessoas (2 em cada quarto) todos Brazucas. Não temos planos de mudar a não ser que apareça uma proposta muito boa ou um lugar que realmente seja muito bom. É muito fácil encontrar moradia aqui, tem milhares de ofertas na internet, basta ter paciência e procurar com calma que você encontra o que procura. É preciso se fazer uma analise da relação trabalho x escola x supermercados x transporte para não se ter um gasto muito elevado. Você pode encontrar uma vaga por 170 euros mais pode ter despesas muito altas com supermercados caros ou dificuldade de locomoção então é analisar e tomar a melhor decisão.

ESTUDO X TRABALHO

Fui na escola somente durante o primeiro mês e depois já tive que pedir férias para trabalhar porque afinal minha primeira meta era pagar as despesas para depois sim estudar inglês. No trabalho desenvolvi bastante porque falava inglês o tempo inteiro mais vai indo e o vocabulário vai ficando limitado porque você já aprendeu toda a rotina do lugar. Quando cheguei meu inglês era bem básico mais hoje já consigo entender muito bem (um fato natural é que o ouvido desenvolve bem mais rápido que a fala) mais ainda estou longe de estar muito bom ou fluente. Agora com um emprego com horários mais controlados espero poder me organizar e voltar a estudar, bom que agora estaou trabalhando na minha escola dai facilita muito tudo. A Stéfane tambem veio com inglês mais básico que o meu e graças a experiencia de au pair ela desenvolveu muito, mais muito mesmo a ponto de alguns momentos ela se comunicar melhor que eu. Voltando agora em novembro ela também espero poder conciliar estudo e trabalho. Nós já viemos conscientes desse processo e que teríamos que trabalhar primeiro para depois pensar no estudo então é esperar o tempo e se adequar as possibilidades.

PONTOS POSITIVOS

O amadurecimento é muito grande numa experiencia dessa, é tanta coisa que esta sobre sua responsabilidade que as vezes dá vontade de pular no rio liffey, mais no final tudo dá certo e você vai colhendo os frutos do esforço e das dificuldades. A administração financeira esta sendo um ponto muito positivo pra mim porque no Brasil minha vida era o cartão de crédito e gastava sempre mais do que podia. Aqui como não o uso tive que aprender a controlar o impulso pela compra de qualquer coisa desde uma camiseta até alimentação. É muito bom comprar apenas a vista porque você tem o controle exato de quanto pode gastar e o que pode comprar. Acredito que para mim esse ponto tem sido o mais incrivel porque como eu mudei, nossa principalmente em relação a lanches na rua, hoje não como praticamente nada na rua, tudo em casa. Comer na rua no Brasil acabava com minha saude e com meu bolso kkkkkkkkk.

Outro ponto muito positivo é o contato com outras culturas, outros povos e as diferenças nas linguas, na alimentação. Vivendo numa cidade pequena a vida toda sempre tive a cabeça muito aberta mais depois que cheguei aqui me apaixonei mais ainda pelas diferenças culturais. Tirando a lingua que é visivel na rua é incrivel ver como as pessoas se vestem, como se comportam, como tratam seus filhos e como levam a vida. O clima de Dublin é ótima para quem gosta disso porque é uma mistura tão grande, é gente de centenas de paises e a cidades se torna uma mistura muito grande de culturas, linguas, comidas e pessoas. Outro ponto muito importante é a descoberta de forças e habilidades novas. Paciência, persistência, luta, garra, poder de decisão entre outras coisas são sentimentos que você certamente irá se encontrar.

PONTOS NEGATIVOS

O ponto mais negativo claro é ficar longe da família e dos amigos, entretanto isso aqui não é nossa vida real, é apenas uma fase, um momento que pode durar alguns meses ou anos mais um dia todos voltaremos para os braços de nossos amados no Brasil. Não temos outros pontos negativos porque nossa adaptação foi muito tranquila mais cada um tem um ponto de vista e objetivos bem diferentes e é normal você encontrar pessoas que não gostam de nada por aqui, mais mesmo assim não abrem mão de ficar pelo menos um ano.

Por que você decidiu ir viajar?

Comentários 5 Padrão

Texto enviado por e-mail:

Ana Carolina Zortéa Franco
anazortea@gmail.com

Nossa, eu nem comecei a escutar isso ainda mas já me apavoro diante da possibilidade de ter que responder essa questão.
Acho que é inevitável que surjam um mar de hipóteses e clichês a respeito dessa coisa de se tornar um viajante. Tédio, vontade de conhecer novas culturas, curiosidade perante o novo…. ou será que devemos focar mais nas respostas objetivas? Ok, aprender ou aperfeiçoar um novo idioma, adquirir experiência de vida, conhecer um pouco do funcionamento do mercado no exterior, etc etc etc…

Mas, sinceramente, eu acho que o desejo pela vida de intercambista vai muito além dessas questões todas (mesmo que tenha, obviamente, um pouco de todas elas), ao menos é o meu caso. Eu quero viver fora do país desde que eu era criancinha, e nessa época eu juro que quando minhas barbies arrumavam as malas e chegavam do aeroporto eu nem pensava em nada dessas questões práticas, apenas era um desejo, uma coisa que estava sempre presente.

Eu quero viajar por que eu preciso saber como são uma porção de coisas. Particularmente, eu tenho até gostado dessa atual sensação de ir dormir e acordar me despedindo de tudo. E neste tudo, estão os sorrisos conhecidos me acordando de manhã e o café pronto na cozinha. A cama dos meus pais que está ali, 15 passos de mim, e que tudo bem que eu nunca recorra a ela, mas é bom saber que qualquer coisa ela vai estar ali do lado. As fotos sorridentes dos meus amigos de anos coladas por todos os cantos nas paredes, e eles ali, a um táxi de distância. Como será não ter mais tudo isso? Como será que vai ser não ter mais um emprego? Muito menos um emprego com uma sala na rua mais bonita de porto alegre, muito menos na minha área e muito menos ainda com direito a internet liberada e 2 horas de almoço. Como será a estranha sensação de não saber o nome das ruas do caminho da volta pra casa? E meu Deus, como vai ser não ver meu irmão? Que tudo bem que a gente tenha uma vida mega corrida e nem se veja muito, mas eu vou morrer de saudade das noites que a gente combinava de chegar em casa junto e ficar conversando até quase de madrugada e vou me odiar por um dia ter escrito um texto assim falando sobre essa viagem num tom animado. Pra logo depois olhar pra minha futura vista da minha futura janela e pensar o quão maluco é isso tudo e que sim, eu consegui realizar esse desejo e que sim, eu sou a mulher mais sortuda do mundo. E a saudade sempre vai fazer parte, mas o pior é não ter.

Porque vida é tão aborrecida se você só se cerca de coisas aborrecidas e gente aborrecida. Viajar é como contrair um antídoto contra essas monotonias todas. Não é sempre bom, nem será sempre uma maravilha. Acho que até muito pelo contrário, entre as poucas certezas que eu tenho estão as saudades e os medos que vou sentir. Mas isso faz parte, felicidade plácida, acomodada, é o tipo de coisa que eu fugi e pretendo continuar fugindo a vida toda.

Porque eu quero aprender tanta coisa ainda. A administrar tudo, minhas contas, minhas saudades, meus objetivos. A escrever e contar pra todo mundo como foi. A ser contraditório e um dia estar amando ver cair a primeira neve pra no dia seguinte estar querendo remarcar a passagem de volta pra poder passar o ano novo na praia com os amigos.

Eu quero mais é que cada dia seja como uma lição nova, que cada coisa errada venha como aprendizado e que tudo e todos sejam como professores. Quero crescer e mudar muito mais do que eu imaginava um dia poder.

E, parafraseando um grande amigo meu (e também um desses espíritos viajantes) eu quero aprender a fazer pratos de outro país em outro país, quero viver de mochila e câmera, quero aprender a me virar em outro idioma. Quero dizer “eu aprendi” muitas vezes mais…

Esse é o espírito, o que vai acontecer numa viagem como essa ninguém sabe, mas vamos combinar que ninguém sabe o que vai acontecer ficando aqui também. No final, estamos é todos juntos, todos os dias, pagando pra ver.

A diferença é o tamanho da aposta.

Qual a hora certa pra fazer um intercâmbio?

Comentários 7 Padrão

Texto enviado por e-mail:

Stephanie Hora
24 anos – Rio de Janeiro
marcelleste25@gmail.com

Chamo-me Stephanie moradora da cidade maravilhosa acabei de completar 24 anos dia 04 de Abril, parabéns para mim hehehehehehe, desde muito pequena sempre fui muito sonhadora, tinha um sonho de voar, mas como realizar aquele sonho louco? A única maneira era me tornar comissária de vôo, todo aquele universo de mulheres bem vestidas tendo a oportunidade de conhecer novos países, culturas e pessoas diferentes me encantavam cada dia mais, quando completei 16 anos conheci um homem nove anos mais velho que me fez acreditar que valeria a pena abandonar aquele ideal para formar uma família “feliz”. Nos casamos e não posso negar que foram os anos mais felizes da minha vida, até o dia que descobri que estava sendo traída naquele dia descobri o significado da musica: meu mundo caiu nos separamos por alguns meses… Confesso que nesse tempo não parava de pensar no que tinha perdido, mas como assim perdido! Ainda sou nova tenho muito tempo pela frente, por incrível que pareça conversamos e voltamos (o amor faz coisas incríveis) mais jamais seria a mesma coisa, algo dentro de mim tinha mudado, então… Finalmente tinha chegado há minha hora.

Fiz os exames no hospital da aeronáutica e fui reprovada duas vezes da para acreditar? Uma das vezes foi por uma carie rsrsrsrs tudo conspirando contra mim mais nada iria me tirar o foco, finalmente já com 23 anos entrei na escola de comissários e me formei uhuuuuuuuuu. Mas a batalha estaria só começando tudo dependia do bendito inglês, fiz alguns cursos mas a ideia de ficar 2 horas em uma sala de aula falando inglês e 22 horas falando português não me animava e por isso nunca conseguia passar de 12 meses frequentando a sala de aula.

Foi ai que começou a minha historia com a Irlanda, fui até uma agencia no dia 15/03/2011 com meu marido para pedir informação e a funcionária me falou sobre o país e quando soube da facilidade de conhecer a Europa sem grandes problemas não quis nem ouvir mais nada estava decidido eu iria estudar em Dublin, mas quando? Não fazia a menor ideia foi quando tive a maior surpresa de toda minha vida meu marido tirou o dinheiro do bolso e disse: quando ela pode ir, fiquei estarrecida e sem fala. Embarco no dia 08/07/2011 da para acreditar? Vou deixar meu marido, casa, família conforto e estabilidade financeira tudo em busca do tal do autoconhecimento e detalhe: NÃO FALO INGLÊS.

As pessoas me perguntam será que vai valer a pena? Não tenho a menor certeza mais prometo que volto contar.

Beijos.