Porque você precisa fazer um intercâmbio?

Comentários 2 Padrão

Ao ver a palavra intercâmbio pela primeira vez na vida logo vem a mente aquelas imagens de filmes ou a ideia de que uma pessoa de outro país vem morar na sua casa e você vai pra casa dele em algum lugar desse mundão. Essa ideia de ter que sair de “casa” pra enfrentar um novo mundo assusta muito e você tem razão em pensar assim, afinal vamos conquistando o ambiente em que vivemos e com o tempo sair desse zona de conforto pode parecer uma loucura, e vou te falar que é.

Kipá - Necessário na visita ao túmulo do rei Davi em Jerusalém

Kipá – Necessário na visita ao túmulo do Rei Davi em Jerusalém

Um mapa de uma cidade desconhecida. Quer coisa melhor???

Um mapa de uma cidade desconhecida. Quer coisa melhor???

Acredito que todas os seres humanos tem dentro de sí essa vontade de sair viajando pelo mundo, conhecendo novos lugares, fazendo amizades e enfrentando os desafios que vão aparecer pela frente. Nossos antepassados eram assim, viviam de galho em galho por ai atrás de comida, moradia e melhores condições de sobrevivência enfrentando o frio, chuva, vento e ambientes totalmente desconhecidos. Depois de tanto andar o homem percebeu que poderia viver em apenas um lugar cultivando sua comida, construindo sua casa e criando uma certa estabilidade, antes impossível por causa das constantes mudanças. Sem me basear em estudos acredito que nesse momento surgiu a zona de conforto. Da necessidade de sobrevivência as aventuras em lugares desconhecidos passaram a serem consideradas risco.

De uma coisa eu não tenho dúvida; temos que conhecer novas realidade para formarmos as nossas próprias concepções e conceitos. Quem vive em apenas um ambiente limitado de conceitos novos e ideologias diferentes tende a ter apenas um ponto de vista sobre a vida e isso pode ser um problema a longo prazo. Os tempos mudaram e hoje todas as relações são muito globalizadas e quem tem a mente muito fechada ou sente medo do novo pode ficar pelo caminho em meio a tantas informações e novidades. Um regra de ouro hoje pode se tornar ultrapassada amanha. Um conceito forte que você tem hoje pode mudar amanhã e tudo que você pensa sobre um assunto pode não ser verdade ou ter outras interpretações, tudo depende do ponto de vista. Eu não sou contra nenhuma religião e por sinal gosto de estudar e conhecer o máximo possível sobre tudo na vida justamente para ter a minha opinião. Os livros sagrados sejam o alcorão, bíblia, torah ou o surta trazem inúmeros textos e ensinamentos que são fundamentais para seus seguidores, entretanto o que é interpretado depende do conhecimento e ponto de vista de quem esta lendo. Dizem que cada trecho pode ser entendido de uma maneira por mais que você já tenha lido aquilo por 10, 20, 100 vezes. Isso mostra que tudo depende do momento que você esta vivendo e qual é a sua bagagem cultural. Recentemente vi uma matéria sobre o EI (Estado Islâmico) que é um grupo muçulmano que vem trazendo terror a Síria e tem como finalidade instituir e converter pessoas a força criando um estado único. O interessante nisso é que a maioria dos lideres muçulmanos já declararam que esse grupo não os representa. Um desses lideres disse a reportagem: Eles estão fazendo uma interpretação própria da alcorão e isso não é o que esta escrito. Isso não acontece apenas naquela região porque no próprio Brasil vemos inúmeras situações ligadas a religião que são frutos de pessoas sem um conhecimento amplo do mundo e que entendem como querem as coisas criando situações, julgamentos e contradições.

Sabe aquela famosa frase de que existe um mundo lá fora? Sim, existe e ele é muito maior do que qualquer pessoa pensa. Eu sempre gostei de ficar olhando as pessoas e tentar imaginar o que elas estavam pensando. Se tem uma coisa que sinto falta e vou sentir é justamente essa possibilidade de pelo menos por alguns segundos ter essa sensação. No Brasil isso também acontece mas em um nível menor porque somos todos Brasileiros mas durante o intercâmbio em cada passo você tem a possibilidade de ver pessoas de diferentes países principalmente na Irlanda que é um país de muitas nacionalidades.  Isso sem falar nas viagens onde o mergulho cultural foi algo indescritivel. Graças ao intercâmbio tive a chance de conhecer mais de 35 cidades em 15 países da Europa, Africa e Oriente Médio. Esse mergulho me colocou de frente com novas realidades, pensamentos e conhecimentos que mudaram a minha vida. Hoje não sou nem de perto o mesmo André que saiu de Patos de Minas no dia 7 de março em 2011. Alias essa mudança começou um ano antes quando visitei a Bolívia durante uma excursão com o torcida Motozeiros do Cruzeiro na fase preliminar da libertadores de 2010. Já contei isso aqui no blog mas foi naquela viagem que eu tive a certeza de que o mundo é muito grande e eu precisava conhecer o máximo possível. Aquela sede que eu já existia se tornou maior e lá fui eu pra Irlanda. Depois de 3 anos e 2 meses em Dublin e com todas as coisas vividas me pergunte se essa sede foi saciada?

Comprar no Tesco – Uma experiência divertida

Comentários 4 Padrão

Eu vou confessar que sempre quis pegar os produtos no supermercado e passar no leitor para fazer aquele bip. Sempre me pareceu uma experiência interessante e ficava vendo como os funcionários conseguem fazer tudo tão rápido, ou não dependendo do lugar kkkk . Claro na minha época de criança as coisas eram ainda na caderneta e só depois de muito tempo que os supermercados do meu bairro passaram a ser controlados assim por sistemas modernos mas sempre tive essa fascinação kkkkkk. Assim como passar os produtos no leitor, mexer na caixa registradora era outra coisa que parecia ser muito divertida porque levantar aqueles “ganchos” em que as notas ficam pressas parecia um video game. Essas coisas parecem ser tão idiotas mais faziam parte da vida de várias pessoas que eu já conversei. Cada um tem uma loucura diferente e sempre todos imaginam sobre processos e sistema de grandes empresas.

Modelo mais comum em bares e restaurantesBem, aqui em Dublin pude realizar esse sonho de criança porque no estádio tenho que controlar a grana no máquina registradora que em inglês se chama “Till” ou “Cash Register” (expressão que não e comum aqui na Irlanda, todo mundo conhece como Till). So faltava então “passar o produto no bip” e rir de tão muito de tudo. Sempre que vou no Tesco faço isso e por mais estranho que pareça me divirto muito. Além de passar o produto, outra coisa interessante é que você mesmo paga com notas, moedas ou cartão, coloca tudo na sacola e vai embora. Ninguém vai lá conferir se você passou todos os produtos ou mesmo se pagou. O sistema é bem interessante e a primeira dúvida que vem a cabeça e se isso iria funcionar no Brasil. Eles até tem uma funcionaria para ajudar em casa de dúvida mas conferência mesmo eles não fazem. É uma loucura porque se você quiser pode dar o golpe geral e até Já ouvi várias historias de brazucas que fazem a “feira” por lá, infelizmente.

2013-08-05 17.47.29

2013-08-05 17.47.49

O processo é bem simples e basta clicar em start e ir passando os códigos. Você coloca os produtos na outra ponta onde eles tem que ficar ate o  pagamento. Depois você escolhe a forma de pagamento, efetua o pagamento e pode retirar os produtos retirando o comprovante de compra. Todo o processo é bem rápido e divertido então da próxima vez que você for comprar no Tesco do Jervis, Temple Bar ou Dumdrum (onde eu já fui pelo menos) tenha essa experiência realmente interessante não só pelo fato de ser caixa por um dia mais também de entender a cabeça do povo por aqui onde a responsabilidade é de cada pessoa e não de um guarda que fica olhando tudo que você faz. Eles tem segurança por câmera, pessoal etc claro, porque problemas com roubos acontecem também mais comprar, passar e pagar é realmente uma coisa que demorou a entrar na minha cabeça como uma coisa normal. Da mesma forma o sistema de transporte LUAS onde você mesmo compra o ticket e depois basta entrar no trem sem catracas etc… Tomara que em algum dia as coisas no Brasil cheguem pelo menos perto disso porque é muito bom.

Comida congelada

Comentário 1 Padrão

Aqui em Dublin e em qualquer grande cidade do mundo os seres humanos estão sempre buscando uma comidinha fácil e barata para se alimentar. As vezes encontramos muitas coisas legais, gostosas e baratas mais também o risco de comprar gato por lebre é certo. Olha só essa pizza que bonito, toda bem distribuída com bordas crocantes e tom cor de delicia. Mais depois olha que coisa mais interessante a pizza de verdade. a Calabresa escorrida num conto e o resto sem comentários, nada a ver com a foto da embalagem.

Coisas que você só aprende no Intercâmbio

Comentários 6 Padrão

Bem, das milhares de coisas que tive que aprender depois que cheguei em Dublin certamente cozinhar é a melhor até agora. No Brasil não tinha  habito apesar da minha família sempre trabalhar no ramo de alimentação e ainda ter um irmão chefe de cozinha. Tecnicamente sempre esteve no meu sangue e agora que a necessidade veio estou apreciando cada momento. Comecei fazendo coisinhas básicas como arroz e carne como já até disse aqui no Blog. Claro nem tudo dá certo mais o que vale mesmo a tentativa e depois claro degustar as iguarias.

Bem passado a fase inicial em que todo intercambista viva de macarrão hoje já estou fazendo coisas muito loucas. Recentemente tive a ideia de comprar um frango inteiro, cortar, temperar e assar. Bem é fácil e mais barato que comprar o frango já cortado. As cenas são fortes mais pode ficar tranquilo que deu tudo certo. Ficou ótimo. Alguns podem perguntar se eu já tinha cortado um frango na vida e  resposta e não! Peguei mais ou menos nos lugares e fui logo cortando com uma faca nova que comprar por 2 euros. Teve uma asa que saiu com um pedaço do peito mais tirando isso o resto ficou show. Depois de uns 45 minutos no forno la estava meu frango assado… uuuuu que delicia. Se as coisas continuarem assim logo logo teremos outro Restaurante Brasileiro em Dublin srrsrs.

Matando a saudade do Brasil

Deixe um comentário Padrão

Se tem uma coisa que todo mundo sente falta aqui é a alimentação que tínhamos no Brasil. Pra mim o que sinto mais falta é de carne porque mais que se busque comprar promoções, lugares diferentes nunca vamos chegar a quantidade e qualidade de carne que eu comia no Brasil. Não tinha assim alimentação tão variada e nem banquetes mais a carne nem que seja moída la estava todo dia. Aqui por uns motivos e outros acabamos optando por frango por ser mais barato. Claro é bom mais vai indo se enjoa e temos que procurar outras alternativas e uma dessas alternativas são as lojas brasileiras. As carnes não são tão caras assim mais se for comprar sempre, no final do mês as despesas de supermercados vão lá pro espaço.

Bem, num desses lindos finais de semana em que buscamos fazer comidas diferentes encontramos uma legitima Linguiça Toscana Brasileira com um preço muito bom.

Eu não sou muito de reclamar de nada aqui até mesmo porque minha alimentação é muito boa. Em algumas refeições como o café da manhã tenho mais coisas que tinha no Brasil mais a carne realmente faz falta. Não sei se pelo fato de comer mesmo ou pelo psicológico de não ter churrascos, churrascarias e afins por aqui.

Comida japonesa que fica rodando, rodando rsrs

Deixe um comentário Padrão

Eu como mineiro do interior nunca tinha visto “um trem desses”. Um lugar muito bacana no shopping Drum Drum que vende comida japonesa de uma forma mais legal ainda. Eles tem uma esteira onde ficam passando os pratos, dai você escolhe um e pega na hora. Se tiver algum prato que você queria em especial basta solicitar e aguardar na esteira. O valor de cada prata depende, em média 5 ou 6 euros.

 

Aventuras culinárias do final de semana

Comentários 6 Padrão

Já postei aqui inúmeras oportunidades em que a necessidade de comer + um tempo livre derão asas a imaginação e para espanto de todos consegui fazer algumas comidas realmente muito bonitas e gostosas. Toda comida tem que ser bonita claro, pois são os olhos os primeiros a aprecia-lá e depois que vem o paladar. O intercâmbio pode ser um momento magico na vida de qualquer pessoa no que se diz respeito a cozinha. Isso porque claro a gigantesca maioria “como eu” sai de casa de saber fazer muitas coisas além de ovo frio, macarrão instantâneo e as vezes raramente quase nunca um arroz. Aqui por um lado você tem a necessidade porque comer fora é muito caro como sempre digo e por outro lado o desafio de fazer coisas gostosas pra você e outras pessoas. Eu tenho a Stéfane como cobaia nas minhas aventuras a frente do fogão mais como aqui ninguém mora sozinho até mesmo os solteiros podem se aventurar e chamar os flatmates para apreciarem seu cardápio. Nesse último final de semana ataquei de lasanha. O macarrão de aqui é mais fino então você não precisa cozinha-ló antes de montar a lasanha, basta fazer o recheio que no caso eu escolhi frango e depois montar bonitinho rsrsrrsrsrs. Fiz um recheio bem temperado com quase tudo que tinha aqui e o resultado foi extraordinariamente incrível. Uma delicia digna dos restaurantes italianos, onde por sinal aprende algumas técnicas bem bacanas rsrsrrs.

Aguardem ainda essa semana minhas técnicas revolucionarias para fazer um frango. Isso mesmo comprar um frango inteiro, tirar pele, osso, cortar, temperar e assar…………. aguardem rsrsrsr.