Quais são os passos para o visto da Irlanda?

Deixe um comentário Padrão

Muita coisa vai acontecer até você realmente desembarcar na Irlanda. Planejamento, dúvidas, blogs, passagem, seguro, euros, curso, escola, medos, frio, Europa, Dublin e outras dezenas de palavras como estas vão passar a fazer parte do seu cotidiano. Imagine esse exemplo como uma bola de neve no bom sentido. Você começa apenas com uma idéia e depois de alguns meses tudo vai tomando uma forma incrivelmente excitante e assustadora. São tantas informações e novidades que você chega a ficar noites em claros vendo vídeos, lendo experiências sempre buscando se aproximar da distante ilha verde. Essa fase quase explode a nossa cabeça mas depois que chega o dia do embarque tudo vai mudando e o que era expectativa passa a ser realidade. Quando você realmente pisa na Irlanda tudo começa a mudar e você precisa entender bem tudo que vai acontecer para poder se programar evitando gastos desnecessários com acomodação e burocracias. Depois da moradia que deve ser o primeiro foco logo depois do desembarque, você precisará ter uma atenção especial no processo de visto que parece simples mas exige esforço para dar tudo certo.

IMG_9928Na Irlanda o processo é um pouco diferente de outros países. Não é necessário fazer nenhuma visita ao consulado no Brasil nem mesmo tirar pré visto ou fazer exames médicos. Você precisa apenas embarcar com a documentação exigida:

– Carta de matrícula da escola
– Carta de acomodação
– Passagem de volta
– 3 mil euros em espécie ou no extrato de um cartão pré-pago (VTM por exemplo). Você precisa levar o dinheiro pra Irlanda e não apenas mostrar a comprovação em extrato como acontece em outros paises. (3 mil euros é o valor necessário para o curso de 6 meses. Para cursos de menor duração não existe uma quantia determinada pela imigração).

No aeroporto você vai receber um visto temporário de 30 ou 90 dias (para o curso de 6 meses). Você entra no país e só depois vai fazer o processo do visto final. Para cursos com duração menores o visto total é concedido ainda no aeroporto.

A NED Training Centre tem um vídeo bem explicadinho sobre essa fase. Pode parecer complicado porque todo mundo já viu falar de uma história assustadora sobre imigração mas é bem simples.

Conheça mais sobre a NED Training Centre acessando o facebook e também o site www.ned.ie

10535761_693216690725591_7542406521919234310_o

E o NÃO venceu na Escócia

Deixe um comentário Padrão

Um resultado aguardado não só pelos Escoceses mas também pelo mundo confirmou que o país do kilt vai seguir fazendo parte do Reino Unido, pelo menos por mais alguns anos. Na minha opinião foi uma decisão sensata porque se o país viesse mesmo a sair do bloco certamente teria muitos problemas a começar pela moeda. O país ficaria isolado do resto do mundo e somente depois de anos de negociação que tecnicamente eles poderiam entrar na União Européia. Bem, seguem os livros de historia da forma que estão e não precisaremos comprar outras bandeiras para colocar nas mochilas hehe. Considerando a diferença de apenas 10% na vitoria do não pode-se dizer que esse assunto voltará a ser debatido em alguns anos.

População da Europa

População da Europa

A título de curiosidade a população da Escócia é de apenas 5,2 milhões de pessoas. Um fato interessante que descobri durante o intercâmbio é que a maioria dos países da Europa tem uma população muito pequena (comparada ao Brasil). Eu não tinha a dimensão real do que era a Europa até ver com os meus olhos e como os países são próximos. Fato que determinou muitas guerras e também mudanças geográficas ao longo dos tempos. A maioria dos países tem menos de 10 milhões de habitantes e com isso vem algumas diferenças primordiais para uma comparação com o Brasil. As vezes temos a idéia de que tudo funciona na Europa e no Brasil tudo é travado. Bem, isso tem uma explicação. A Irlanda por exemplo tem uma população de pouco mais de 4 milhões de habitantes. A Noruega  que é vista com modelo de muitas coisas tem muito mais de 4,5 milhões de habitantes. Imagine administrar um pais com essa quantidade de pessoas? Tudo é tecnicamente mais fácil porque se você imaginar que no Brasil temos mais de 200 milhões de pessoa. Outro fator que dificulta tudo é a extensão territorial. A maioria dos países Europeus é menor do que qualquer estado Brasileiro. Novamente, administrar tudo isso é muito mais fácil. Por outro lado com o tamanho do Brasil seria possível explorar melhor as potencialidades gerando mais receita e crescimento econômico. É difícil entender todo esse cenário porque a Europa está lá a dezenas de séculos enquanto o nosso Brasil tem pouco mais de 500 anos. O certo é que temos tudo para sermos um bom país mas ficamos travados na política e também na forma de pensar da população.

Hoje é um dia histórico na Escócia

Deixe um comentário Padrão

Fazer um intercâmbio na Irlanda é algo muito grandioso porque além de estudar o necessário inglês temos oportunidades únicas de conhecer países, historias, lendas e povos daquela região. Depois de um tempo vivendo com esses povos você começa a ter os mesmos sentimentos deles. A história da Irlanda é muito complicada em sua relação com a Inglaterra. Essa relação de ódio esta perdendo força com as novas gerações mas um passado repleto de mortes, guerras, sanções e principalmente crueldades não pode ser esquecido. Depois de alguns meses na Irlanda você já começa a sentir essa indiferença que é quase a mesma coisa que sentimos em relação aos Argentinos. Tecnicamente todo Brazuca não gosta dos vizinhos mas ninguém sabe explicar porque.

Somente em 1921 depois de mais de 7 séculos conturbados nessa relação é que a Irlanda conseguiu sua independência. Apesar de ter perdido parte de suas terras a nação seguiu seu caminho e hoje tem uma relação próxima por causa do comercio e outros tantos fatores.

Na Escócia a situação foi diferente onde a independência não veio mas sim aconteceu uma fusão de terras criando o Reino Unido juntamente com o País de Gales, Irlanda do Norte e Inglaterra. As ligações entre Escócia a terra da Rainha são muito fortes por inúmeros motivos. Essa relação pode ter um fim hoje com um referendo que acontece nesse momento e propõe a inteira separação do bloco. Essa mudança seria algo sem precedentes na historia daquela região mudando os livros de historia para sempre.

Ao visitar a Escócia é possível ver a forte relação entre os dois países com símbolos da realiza britânica, monumentos, museus, nomes de ruas etc. O clima é muito diferente da Irlanda onde as pessoas não gostam mesmo da Rainha mas na Escócia pelo que percebi eles gostam de fazer parte desse contexto.  Bem, pelo menos uma parte das pessoas porque o movimento separatista começou fraco e com o tempo foi juntando forças até chegar a marca de 52% das intenções de votos na consultar popular de hoje. Os últimos números de pesquisas mostram empate e o resultado virou um suspense.

Caso o país realmente escolha ser independente várias alterações vão acontecer no setor comercial, moeda, tratados, bandeira entre outras dezenas de coisas. É uma situação muito importante não só para a Escócia mas para todo o mundo. A Inglaterra vem perdendo suas “colônias”ao longo dos tempo e isso pode trazer mudanças profundas na economia Britânica.

Um fato interessante é que se mesmo que o SIM venha a ser escolhido pela população a Rainha da Inglaterra segue como peça importante na Escócia. Existem tratados que são selados antes da total independência e claro eles não vão apenas sair de lá. A própria rainha tem um castelo perto do centro onde vem passar alguns dias por ano entre dezenas de propriedades. Na Irlanda eu tive contato com algumas pessoas que fizeram intercâmbio na Austrália e eles me disseram que mesmo depois da independência a presença britânica segue em alguns setores com fortes influências. Se o SIM ganhar até mesmo a famosa bandeira do Reino Unido possivelmente irá mudar.  Ela existe desde 1801, é composta por três bandeiras de santos que representam três países: São Jorge (Inglaterra), que tem fundo branco e cruz em vermelho; Santo André (Escócia), com fundo azul e um “X” branco; e São Patrício (Irlanda), que é branca e tem um “X” em vermelho. Caso a Escócia deixe de pertencer ao Reino Unido, a bandeira perderia a cor azul e poderia ser modificada para contemplar as cores do País de Gales, que também pertence ao Reino Unido, mas não está representado na Union Jack que é o nome desse conjunto de cores e formas.

bandeirasru1Tudo isso é muito interessante e merece a atenção de todos. Ter feito parte desse contexto mesmo que por alguns dias é algo surpreendente que só quem passou por lá sabe. A mesma coisa aconteceu no recente conflito na Faixa de Gaza onde ver o sofrido povo palestino sendo massacrado foi triste. O intercâmbio é realmente algo magnifico.

Jervis Shopping Dublin

Deixe um comentário Padrão

Durante um intercâmbio você tira milhares e milhares de fotos e por mais que você seja  uma pessoa organizada não conseguirá ver todo esse material. Depois do retorno sempre que bate aquela saudade basta entrar nas pastas para rever ou até mesmo conhecer alguma coisas. É tanta coisa que possivelmente você não se lembrará que tinha tirado aquela foto ou feito aquele video. Na minha série de achados vou postar um timelapse legal que fiz no maior shopping do centro de Dublin, o Jervis.

Como levar seu animal de estimação do Brasil para a Irlanda

Comentários 3 Padrão

Já explicamos aqui no blog como fazer o processo da Irlanda para o Brasil, em detalhes. Um passo a passo de tudo que você precisa fazer e como funciona na realidade o transporte da terra verdade para a terra Brasilis. Bem, agora vamos explicar como funciona o processo inverso de como levar o seu bichinho do Brasil para a Irlanda.

Antes, uma breve reflexão sobre o assunto.

1) Adaptação e moradia:   Esse assunto deve ser muito bem pensado antes da decisão de realmente levar seu PET pra Irlanda. Tenha em mente que você vai passar por um processo de adaptação complicado em vários sentidos. Entenda que você não tem uma residência fixa e certamente vai ter que morar com outras pessoas e em 99,9% das vezes ela serão totalmente desconhecidas. A maioria das pessoas amam bichos de estimação mas no intercâmbio tudo é muito intenso e o seu animalzinho pode passar de um amorzinho para a um problema. Certamente você terá que se mudar pelo menos 1 ou 2x durante o intercâmbio e isso pode ser complicado mas uma vez. Em várias situações os donos das casas não permitem Pet’s pelo fato do barulho ou por causa da mobília.

2) Despesas com alimentação e saúde: De uma forma geral os preços de ração e outras coisinhas que nossos bichinhos gostam não são caros (muito mais barato que no Brasil) e também veterinário não é um valor absurdo. Claro, essa conclusão de que as coisas são ligeiramente baratas só pode acontecer depois de você já esta trabalhando. Os gastos iniciais são altos e ter mais uma despesa fixa por elevar mais ainda suas contas. Na adaptação, o PET pode ter alguns problemas de saúde e com isso algumas visitas ao VET serão necessárias. Eu não vejo esse aspecto como um grande problema mas deve ser considerado.

3) Tempo de estadia na Irlanda: O processo de transporte é muito traumático para o PET. Tive essa impressão com o Dexter porque quando chegamos em SP ele estava muito assustado pra não falar desesperado. Deve ter sido um sofrimento pra ele ficar no porão do avião durante todo aquele tempo. Eu não sei sobre cachorrinhos mas com gatos é diferente e eles ficam muito preocupados e com certeza o choque é maior. Claro que ele voltou a ser a mesma fofurinha de antes mas sempre nos perguntamos como foi aquela viagem pra ele (kkkk coisa de pais preocupados). Mesmo que você tenha planos de ficar muito tempo na Irlanda  é muito difícil prever o que vai acontecer porque tudo muda muito e pode ser que você tenha um gasto elevado, um trauma muito grande para o PET e fique pouco tempo na Irlanda.

Eu não recomendaria levar um PET pra a Irlanda porque pode até parecer ser possível organizar tudo mas depois que chegamos na Irlanda é que entendemos como tudo funciona. Como é realmente a vida dividindo casa com outras pessoas e principalmente como é a rotina de um intercambista. Eu aconselharia esperar um pouco e só depois que tudo estivesse correndo bem fazer esse processo. Não se deixe levar pela emoção de ter o seu PET perto de você porque tudo pode se tornar um pesadelo.

Eu já vinha pesquisando sobre o processo de levar PET do Brasil pra Irlanda mas sempre encontrava informações antigas e ficava na dúvida se deveria postar. Na semana passada o E-Dublin  fez um vídeo muito legal com uma pessoa que acabou de chegar na Irlanda com seu PET. Nesse video informações completas e atualizadas sobre todo o processo (2014). Nesse caso especifico eu recomendaria fazer o transporte do PET porque o casal já chegou com as coisas organizadas e pelo que parece moram sozinhos, fato diferente da maioria dos estudantes.

Links Úteis:

http://www.tesco.ie
http://www.maxizoo.ie