Home Sweet Home

Comentários 9 Padrão

E ai pessoal como alguns já devem ter visto a mudança não foi só de emprego mais também de apartamento. Morávamos perto da Connolly Station num apartamento simples e antigo mas que nos acomodou muito bem nesses quase 1 ano de Irlanda e não tenho nada a reclamar. Agora estamos instalados em um apartamento novinho em folha, que pra mim é um luxo.

Como todos sabemos casa nova pede ás vezes utensílios novos. Depois de quase um ano já sabemos de olhos fechado onde encontrar e onde e mais barato. Em geral uma das dúvidas que o pessoal mais tem é onde comprar edredom e lençol que são coisinhas que não trazemos na bagagem e precisamos comprar o mais rápido possível quando se esta de mudança pra casa definitiva . A aqui eles possuem vários tipos de cobertores porém usam sempre edredom.

Eles vem em diferentes tamanhos, por exemplo o single (solteiro) não da cobri a cama (na minha opinião muito pequeno porque se você cobrir a cabeça os pés ficam de fora você escolhe), o double (casal) seria um single grande que cobre bem a cama de casal, o que não adiantaria pra mim e pro André pois a noite é uma queda de braço pra ver quem puxa mais, então decidimos comprar o king que cobre toda cama de casal e é ótimo e esquenta muito bem.

Comprado o edredon temos que comprar a capa do edredom pra que ele não suje com frequência por ai você pode escolher a estampa que mais lhe agrada. Lembrando que para os lençóis você devera compra o tamanho que é ideal da sua cama só o edredom e que muda OK.

Vamos aos nomes em inglês das coisinhas:

Fronha: Pillowcase
Lençol: Sheet
Edredom: Duvet
Capa pra edredom: Cover Duvet
Coberta acolchoada: Quilt
Cobertor: Blanket
Cobertor eléctrico: Electric blanket
Travesseiro: Pillow
Protetor de colchão: Cover mattress

Os dois melhores lugares de comprar em nossa opinião é nas lojas Guineys (não a de cerveja mais a loja de cor laranja de coisas pra casa) e a Penneys que possuem produtos de boa qualidade e preço bacana. A capa pro edredom vocês irão encontrar em torno de 15 a 20 euros e eles já vem com a fronha e o Duvet por 15 a 20 euros , lençol vários tamanhos entre 6 e 10 euros e ainda o travesseiro com duas unidades por 4 euros. Espero que ajude aos marinheiros de primeira viajem.

Abração

Anúncios

Novos Ventos

Comentários 6 Padrão

Olá pessoal espero que tenham passado um ótimo final de ano e iniciado 2012 com o pé direito.

Bom, nem todos sabem mas eu já voltei pra Dublin. Depois de quase seis meses com minha família Irish retomei meus estudos na NED e fiquei muito surpresa, pois meu inglês deu um UP bem legal já que quando cheguei na Irlanda não sabia falar quase nada e fui direto pro basicão. Agora quando voltei fui para o level 3, o que me deixou muito feliz . Claro ainda não estou satisfeita porque meu inglês necessita muito mais pra ficar bom, ou seja , mais estudos…..

Como havia dito voltei dia 8 de novembro e comecei a frequentar as aulas normalmente e depois de uns quinze dias nessa rotina minhas “férias” acabarão e comecei a procurar outro trabalho já que grana é uma coisa que acaba rápido ainda mais quando se esta atoa sem fazer nada. Refiz meus currículos colocando agora a referência da família Irish e uma carta de recomendação que a família fez questão de me dar (meu muito obrigado á família Drumm). Nos primeiro dias enviei só pela internet e pelo FAS que uma instituição Irlandesa que auxilia pessoas em busca de trabalho.

No dia 7 de dezembro resolvi começar a distribuir pessoalmente, passei pelo Temple Bar e depois fui pela região da Grafton e entreguei em três lugares: uma farmácia, um café e um pub (só em lugares que tinham placas de precisa-se) em dentro de meia hora que havia terminado e já estava indo pra casa meu telefone tocou, era o Kevin o dono do Taste Café que perguntou se estava interessada em trabalhar, disse de cara que sim então ele pediu pra ir no outro dia fazer um teste e com roupa toda preta (staff). Fiquei tão feliz porque sabia que seria legal.

No dia seguinte como combinado fui ao local e fui apresentada a equipe que me recebeu muito bem como parte da família e logo comecei a ser introduzida na arte de atender as pessoas, coisa que ate então eu só havia feito como recepcionista de festas mais nunca trabalhando com comidas espectaculares e cafés que são maravilhosos. Os dias que se seguiram foram muito corridos, pois estávamos em época de festas e eu não tive muito tempo pra aprender quase nada. Me esforcei ao máximo pra pegar o ritmo da coisa e cheguei a uma conclusão: meus chefes são bem legais, contratar uma pessoa que fala inglês intermediário na véspera do natal e que não tinha experiência com comida… sou eternamente grata.

Aprendi que realmente o brasileiro é querido por todos os povos do mundo seja pelo sorriso, felicidade constante ou a amizade que temos com qualquer um que entre na nossa vida… Sinceramente não sei explicar.

Agora que as coisas estão mais tranquilas e as festas passaram, estou treinando o cardápio e estudando muito e a cada dia me apaixono mais por esse lugar!

Gostaria de agradecer ao pessoal do Taste of Food que me recebeu tão bem e aos meus chefes Kevin e Eamon que me deram esta oportunidade. Valeu galera!

31/10 – Halloween, feriado nacional na Irlanda

Deixe um comentário Padrão

Aqueles que têm medo de alma penada, assombração e se assusta fácil devem ser preparar, pois, dia 31 de outubro está chegando e neste dia é comemorado o Dia de todos os Santos.

O Halloween é uma festa muito famosa e tradicional de países europeus e dos Estados Unidos que vem se popularizando pelo mundo. Esta festa data de 600 B.C a 800 A.C, originalmente celebrado na Irlanda pelos povos celtas. Os Celtas eram uma antiga civilização que estendeu sua influência por todo continente europeu, assim surgindo uma civilização comum a grande parte da Europa, a cultura dos túmulos deu-se início do costume de sepultar os mortos sob grandes túmulos de terra que em 1200 A.C. alcançou seu desenvolvimento. Nos séculos VIII até XII AC, floresceu a cultura dos campos de urnas, considerada a primeira expansão do povo Celta.


Suas principais características foram á utilização de objetos de bronze e a celebração de um ritual funerário diferente das de outras culturas que utilizavam túmulos, o morto era incinerado e suas cinza colocadas em uma urna. Ao se fixarem em residências em lugares de difícil acesso, favoreceram que sua cultura atingisse seu maior desenvolvimento espiritual; a magia e a adivinhação eram apanágio dos druídas, sacerdotes e sábios, dirigiam as cerimônias religiosas para celebrar as forças da natureza.

Os celtas da Bretanha Antiga cultuavam a natureza e tinham muitos deuses, sendo o deus Sol seu favorito, pois era “ele” quem determinava o tempo de trabalho e o tempo de descanso, além de ser também o responsável pela beleza da Terra e a fartura da colheita.

Eles acreditavam que bruxas, demônios e espíritos de pessoas mortas ficavam pairando na véspera de 1º de novembro, quando celebravam o Ano Novo. Era o fim da estação do sol e início da estação do frio e da escuridão. Para eles, nesta época de inverno o deus Sol era mantido como prisioneiro de Samhain, o deus da morte e Príncipe da Escuridão.
Na noite anterior ao Ano Novo, 31 de outubro, os celtas acreditavam que Samhain (samhain significa literalmente “fim do verão” na língua celta) reunia todas as pessoas mortas. E os mortos assumiam diferentes formas, sendo que os maus espíritos adquiriam forma de animais. Os piores deles se transformavam em gatos. Para se proteger dos maus espíritos, os sacerdotes celtas, chamados druidas, ofereciam a eles coisas para comer e se disfarçavam com máscaras, para que os espíritos não lhes fizessem mal.

Essa oferenda era realizada através de um ritual realizado na floresta, entre os carvalhos (considerados árvores sagradas). Acendiam fogueiras com mascaras realizavam uma dança ao redor do fogo, faziam o sacrifício de animais, que era oferecido juntamente com as colheitas. Acreditavam também que nesse dia, que marcava o início do ano cético, os espíritos desencarnados de todos aqueles que morreram no decorrer do ano, voltavam na busca de corpos de pessoas vivas nas quais eles pudessem habitar durante o ano que se iniciava. E que essa era a única maneira de vida após a morte. Aqueles que estivessem vivos e não queriam ser possuídos pelos espíritos dos mortos na noite de 31 de Outubro deveriam apagar os fogos em suas casas, para torná-las frias e indesejáveis, se vestiam com roupas arrepiantes e faziam bastantes barulhos para amedrontar os espíritos que estavam à procura de corpos. Ao amanhecerem os druidas davam a cada família uma centelha daquela fogueira para que ela acendesse com ele o fogo com o qual iria cozinhar. Acreditava-se, assim, a casa estaria mantida livre dos maus espíritos.

A relação da comemoração desta data com as bruxas propriamente dita teria começado na Idade Média no seguimento das perseguições incitadas por líderes políticos e religiosos, sendo conduzidos julgamentos pela Inquisição, com o intuito de condenar os homens ou mulheres que fossem considerados curandeiros e/ou pagãos.  Essa designação se perpetuou e a comemoração do Halloween, levada até aos Estados Unidos pelos emigrantes irlandeses (povo de etnia e cultura celta) no século XIX, ficou assim conhecida como “dia das bruxas”, uma lenda histórica. Com a conversão ao cristianismo dos povos europeus, foi-se estabelecendo o calendário litúrgico católico, surgindo às celebrações do Dia dos fiéis defuntos e do Dia de Todos os Santos, mitigando as referências às entidades pagãs e erodindo a popularidade da sua mitologia em favor da presença dos santos católicos.

A igreja católica designou o dia 1º de novembro para honrar todos os santos (All Saints or All Hallows). A noite anterior ao Dia de Todos os Santos (All Saints Day) era chamado Noite de Todos os Santos (All Hallows Even). A expressão Noite de Todos os Santos (All Hallows Even) foi abreviada para Halloween.

– Alguns dos símbolos do Halloween têm explicações históricas.- “Gostosuras ou travessuras”: é uma brincadeira existente desde o século IX. Neste período as pessoas faziam os “bolos das almas” com massa simples e cobertura de groselha para entregar às crianças que, devidamente fantasiadas, batiam de porta em porta para pedir os bolos. Em troca de cada pedaço de bolo, a criança se comprometia a rezar pela alma de um parente de quem lhe ofereceu.

– Abóboras: simbolizam fertilidade e sabedoria, enquanto as velas servem para iluminar o caminho dos espíritos. Conta à lenda que a prática de cortar a abóbora e colocar uma vela acesa dentro dela surgiu da estória de Jack, homem que gostava muito de beber e que se encontrou com o diabo no dia em que bebeu em demasia. Esperto, aprisionou o diabo em vários locais até o dia em que, de tanto beber, morreu. Sua entrada no céu foi negada e no inferno também, já que humilhava o diabo em vida. A partir daí a alma de Jack passou a perambular pelo mundo. As abóboras iluminadas então passaram a ser utilizadas por Jack para fugir da escuridão e iluminar seu caminho e esta historia nasceu na Irlanda.

– Bruxas: são as principais simbologias dessa festa. As histórias contam que as bruxas participavam de festas realizadas pelo diabo, que normalmente eram realizadas em 30 de abril e 31 de outubro. Tal crença chegou aos Estados Unidos por seus colonizadores e a partir daí se espalhou por todo o mundo, tomando várias formas diferentes.

– Gato Preto: é um símbolo ligado às bruxas, pois elas conseguem se transformar em gatos. Outras superstições acerca dos gatos são que esses são fontes de azar e que também são espíritos de pessoas mortas.

– Vassoura: é um símbolo do poder feminino em limpar tudo aquilo que traz consequências negativas para a vida, como eletricidade e pensamentos negativos.

– Morcego: simboliza a visão que ultrapassa as aparências e consegue ver o íntimo das pessoas.

– Maçã: fruta associada aos deuses do amor é utilizada na festa como símbolo de vida.