Como são os últimos dias em Dublin – Parte 2

Comentários 8 Padrão

É difícil descrever o que se passou naquelas últimas 3 semanas. (perdeu a primeira parte? Clique aqui)

Aquela vida tinha acabado, possivelmente nunca mais veríamos as ruas, o povo, o LUAS, a arquitetura, a comida, a cultura, etc. Três anos de muitas experiências, conquistas, vitórias, medos, derrotas, saudades e principalmente aprendizados tinham chegado ao fim. Particularmente pra mim essa sensação de que é última vez que eu vejo aquilo ou faço isso é o que mais me machuca. Nossa viagem de retorno foi no dia 5 de maio e no dia 3 ainda tive um dia de trabalho em Manchester no Old Trafford. Esse exemplo é muito bom porque mesmo de ter trabalhado 29 jogos e ter vivido tanto coisa legal em Manchester aquela data foi difícil. Meu último jogo trabalhado no Aviva Stadium e o último show trabalhado no The O2 foram inesquecíveis. Todos esses lugares foram fantásticos na minha experiência cultural e chegar no último dia despedindo dos meus colegas de trabalho, amigos, diretores foi realmente complicado. Na NED, local do outro trabalho ficavam as pessoas com quem tive mais contato na Irlanda (afinal vivemos mais com os colegas de trabalho do que com a família) também foi difícil. Aquela última olhada para a mesa de trabalho, a última descida pelas escolas, o último by by …….

Criamos uma espécie de roteiro para comermos, bebermos, visitarmos, ver e sentirmos coisas pela última vez. Comemos em todos os restaurantes que fizeram parte do nosso dia a dia. Tomamos uma (ou 2,3) pints nos Pubs, fomos no Cineworld vários dias seguidos para fecharmos tudo com chave de outro. Como disse antes na medida que as coisas foram se resolvendo tudo foi fazendo mais sentido e a sensação de tristeza pelas despedidas se tornaram expectativas positivas pela volta. Fizemos a nossa despedida com a maioria dos nossos amigos e depois mais uma rodada de pão de queijo em casa onde fizemos um saldão (doação) com o restante das coisas de casa.

Chegamos a última noite em Dublin, ansiedade total, tudo conferido e pronto para a viagem. Chegou o transfer, colocamos as coisas no carro e voltamos para fechar a casa.. Nessa hora deu um choque grande porque realmente sabíamos que a hora tinha chegado. Dentro da casa nenhum dos nossos objetos, fechamos a parta, trancamos tudo, demos uma última olhadinha pra trás e fechamos o portão. Só quem vive essas coisas é que sabe como fica a cabeça e o coração. No caminho do aeroporto um filme passou na minha cabeça lembrando o dia que estávamos fazendo o caminho contrário chegando em Dublin. Tudo resolvido no aeroporto com as malas, com o Dexter e ainda tivemos tempo para tomar uma última refeição. Eu não tenho certeza de quantas vezes passei pelo aeroporto de Dublin pois fui para Manchester a trabalho pelo menos umas 28-30 vezes mais as nossas viagens. Em todas essas vezes ficava olhando as pessoas e imaginando como seria o meu Dia D. Assim que abriu o portão do nosso voo a ficha foi caindo e realmente a nossa vida na Irlanda estava chegando ao fim. Na medida que o avião foi taxiando nossos olhos ficaram fixados na janela e quando decolamos deu aquele frio na barriga e um mix de tristeza e alegria.

Good to Go !

Good to Go !

Chegamos em dois na irlanda, voltamos em três.

Chegamos em dois na Irlanda, voltamos em três.

A hora (H)

A hora (H)

Saímos da Irlanda de uma forma tão boa porque ficamos mais felizes do que tristes afinal atingimos e superamos todos os nossos objetivos e propósitos. Tivemos muito êxito em tudo que fizemos, fomos felizes em todas as escolhas então ficamos com aquela sensação de dever cumprido. Não tivemos a sensação de que deveríamos ter feito isso ou aquilo, se tivéssemos feito mais, trabalho mais, viajado mais.. Chegamos na Irlanda com a proposta de pagar todas as despesas da viagem e aprender o inglês do jeito que der porque tínhamos pouco mais de 1000 euros cada, dinheiro suficiente para 2 meses no máximo. No fim saímos com nível de inglês avançado, compramos muitas coisas que sempre sonhamos, conhecemos 16 países, fizemos grandes amizades e ainda nos tornamos pessoas muito melhores do que chegamos.

Como sempre dissemos: Obrigado Intercâmbio, obrigado Dublin, obrigado Irlanda !

Anúncios

8 comentários sobre “Como são os últimos dias em Dublin – Parte 2

  1. Olá ALine,

    Mesmo no inverno já estamos sentindo calor hehehe. Imagine no final do ano… O bom é que teremos tempo para a adaptação.

    Abraços, obrigado pelo comentário.

  2. Eu sou da região de Sorocaba (morei muito tempo em Itapeva) e tenho muitos amigos aí. O que posso dizer é que o verão é terrível nessa cidade!! Com certeza vocês vão matar a saudade do calor… rsrs

  3. Olá Aline, as despedidas são realmente complicadas mas com fé tudo da certo. Temos essa facilidade de adaptação então é correr atras para fazer acontecer.

    Tudo de bom, sucesso no seu projeto e poderemos nos encontrar no futuro aqui pelos lados de Sorocaba, quem sabe. Por enquanto o clima esta legal mas já me disseram que no verão a coisa ferve hehehehe..

    Abraços, tudo de bom.

  4. Olá Xará realmente é um processo bem intenso deixar tudo e embarcar rumo a essa aventura. Vivemos a mesma coisa no regresso mas como você sabe o ser humano tem uma facilidade muito grande de adaptação então tudo passa. Pode deixar que vou fazer sim um post falando da volta ainda nessa semana.

    Tudo de bom, abraços e obrigado pelo carinho.

  5. Muito legal… Estou indo pra Dublin em Janeiro e estou vivendo o inverso, a apreensão de deixar amigos e familiares aqui no Brasil. Dá pra sentir o frio na barriga que vocês devem ter sentido, mas com certeza, voltaram mais realizados e com uma grande experiência que muitos jamais poderão viver! Parabéns!

    A propósito, vocês poderiam fazer um post sobre como foi a readaptação ao Brasil, afinal, foram 3 anos vivendo numa outra realidade né? Isso se já não estiver nos planos de vocês!!! Hehehe..

    Muito sucesso nessa nova etapa! Abraços,

  6. Também tive que segurar o nó na garganta aqui. O mais curioso é que ainda estou na situação inversa. Estou indo em janeiro e já fico triste pensando na volta…

    O que tenho mais pena é de não conhecer pessoalmente a pessoa que tanto me orientou no início de tudo. Mas desejo à vocês dois tudo de bom em Sorocaba!! Pelo menos frio vocês não passarão aí… haha

  7. Eu também fiquei um pouco emocionado. Não farei outros materiais sobre esse assunto heheheheh

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s